Segundo Manuel José, soldados da polícia local abandonaram estádio após o final da partida

Policiais do Egito com escudos na partida que acabou em tragédia no Egito
Reuters
Policiais do Egito com escudos na partida que acabou em tragédia no Egito
O português Manuel José, técnico do Al-Ahly, afirmou que a polícia do Egito foi omissa durante o massacre que ocorreu no estádio de Port Said nesta quarta-feira. Mais de 70 pessoas morreram após torcedores invadirem o campo no final da partida .

“A culpa é única e exclusiva da polícia. Porque tínhamos dezenas de soldados dentro do estádio e quando acabou o jogo, eles sumiram”, afirmou Manuel José, em entrevista a rede de televisão SIC, de Portugal.

Veja também: Seguranças viram alvo e são mortos em tragédia no Egito

O treinador relatou ter apanhado no gramado e disse que não conseguiu voltar para o vestiário junto com os jogadores do Al-Ahly. "Levei socos e pontapés, mas estou bem. Apesar da confusão, alguns seguranças ficaram na minha volta, e apesar de algumas pancadas na cabeça e nas costas, não tenho nada de mais", disse o português.

Segundo Manuel José, nenhum jogador do seu clube ficou gravemente ferido. A confusão começou logo depois de o árbitro encerrar o confronto vencido pelos anfitriões do Al Masri, de Port Said, por 3 a 1.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.