Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jefferson adivinha canto do chute mexicano e ganha espaço no Brasil

Goleiro substituiu titular Julio Cesar pela primeira vez em jogo grande. Neymar previu que defesa faria seleção virar

Marcel Rizzo, enviado iG a Torréon |

No vestiário do estádio Território Modelo, em Torreón, Neymar, o garoto de 19 anos, se virou para os jogadores, apontou Jefferson e afirmou: o pênalti defendido pelo goleiro no final do primeiro tempo faria o Brasil virar a partida. A profecia deu certo, a seleção brasileira fez 2 a 1, gols de Ronaldinho Gaúcho e Marcelo, e o goleiro, titular pela primeira vez da seleção principal, acha que pode ter começado um ciclo.

A VITÓRIA: Brasil vira jogo com gol de Ronaldinho e um a menos

Mowa Press
Jefferson divide bola com Adriano em treinamento. Pronto para jogar
“Feliz demais por tudo, ter defendido o pênalti. Acho que pode ser um bom começo na seleção brasileira. Respeito todos os goleiros, mas quero conquistar meu espaço”, disse o jogador do Botafogo, de 28 anos.

Ele contou que não estudou as cobranças de pênaltis dos mexicanos, como normalmente faz. Naquele momento, o Brasil perdia por 1 a 0 e Daniel Alves havia sido expulso ao cometer a falta em “Chicharito” dentro da área.

LEIA TAMBÉM: De reserva do reserva, Jefferson estreia como titular no Brasil A

“Eu não sabia onde ele cobraria, mas fui com convicção”, disse Jefferson. Durante a Copa América da Argentina, em julho, nos treinamentos, ele tinha um ótimo aproveitamento de defesas quando Mano treinava ou quando os jogadores faziam apostas, nas brincadeiras.

Jefferson só jogou porque Julio Cesar teve uma lesão na panturrilha esquerda e foi cortado, voltando para a Itália. Mesmo assim, em três meses a situação do arqueiro, revelado pelo Cruzeiro, mudou bastante, já que era o reserva do reserva, atrás de Victor, do Grêmio. Como o titular terá quase 35 anos em 2014, ele, com 31, pode estar bem cotado.

“Acho que todos podem ter seu espaço”, disse. Ele foi um dos seis jogadores que viajaram em voo fretado ao Brasil, logo depois do jogo, pago pelos clubes que pretendem contar com os atletas ainda nessa rodada do Brasileiro do meio da semana. Mas o arqueiro não sabe se jogará contra o Corinthians, 21h50, no Pacaembu.

“Sou funcionário do Botafogo, não sou eu quem decide, mas temos que ver se a viagem será cansativa ou não. Vamos nos sentar, conversar e ver o que é o melhor para o Botafogo”. Além dele viajaram Neymar, do Santos, Réver, do Botafogo, Fred, do Fluminense, Dedé, do Vasco e Ronaldinho, do Flamengo.
 

Leia tudo sobre: seleção brasileirajeffersonbotafogo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG