Tragédia ocorrida no Egito matou 77 pessoas e deixou centenas de feridos, após invasão do estádio Port Said

Tragédia no Egito teve 77 pessoas mortas
AP
Tragédia no Egito teve 77 pessoas mortas
A Federação Egípcia de futebol informou nesta sexta-feira que o Al Masry está suspenso de todas as competições nacionais pelo período de um ano. A equipe se envolveu em uma confusão generalizada no duelo contra o Al Ahly, no ano passado, onde 77 pessoas morreram após a briga no estádio de Port Said.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

O Al Masry também sofreu uma dura punição com relação ao seu mando de campo nos anos seguintes. O palco do confronto entre torcedores e jogadores foi fechado por três anos pela Federação e ficará impedido de receber qualquer evento esportivo durante a punição imposta nesta sexta.

Leia mais: Invasão de campo mata 77 e fere 248 no Egito

Apesar da gravidade do tumulto, a dura pena aplicada ao Al Masry não foi compartilhada por seu rival no confronto. Segundo os dirigentes egípcios, a torcida do time da casa foi a responsável por iniciar o tumulto e invadir o gramado para agredir os jogadores do Al Ahly. Tal postura livrou a equipe do banimento dos campeonatos e trouxe apenas sanções mais leves ao clube.

Confira ainda: “Não consegui dormir até agora”, diz jogador brasileiro no Egito

Por terem provocado a torcida adversária e hasteado bandeiras com dizeres violentos, os torcedores do Al Ahly fizeram com que sua equipe recebesse um gancho de quatro jogos com os portões fechados na próxima temporada. O árbitro da partida, por sua vez, recebeu quatro jogos de suspensão, assim como o técnico da equipe visitante e o meia Hossam Ghaly.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.