Meia do Flamengo não marcava desde 2007 pela seleção. Time jogou com uma a menos e Jefferson defendeu pênalti

Com um time sem referência no ataque, a seleção brasileira venceu o México com gol de Ronaldinho Gaúcho – o meia do Flamengo não marcava pela seleção desde outubro de 2007, na goleada de 5 a 0 sobre o Equador. Foram 12 jogos na “seca”. Marcelo virou a partida, que terminou 2 a 1 (David Luiz fez contra), já na madrugada desta quarta-feira (horário de Brasília) no estádio Território Modelo, na cidade de Torreón (ao norte da Cidade do México). Ronaldinho foi aplaudido de pé pelos torcedores quando foi substituído por Hernanes no finalzinho.

Leia também: Ronaldinho revela sabor especial por gol e vitória no México

O resultado foi heróico porque o time estava com um jogador a menos desde o primeiro tempo, Daniel Alves foi expulso. Jefferson ainda defendeu um pênalti. No dia 10 de novembro, o Brasil enfrenta o fraco Gabão (67° no ranking Fifa), na África, e outro adversário ainda a ser definido – provavelmente a Suíça.

Veja mais: Marcelo diz que seleção brasileira mereceu vitória

O jogo
Mano optou por escalar o Brasil sem centroavante, depois da péssima atuação de Fred contra a Costa Rica ( vitória sofrida por 1 a 0, em San Jose ). Lucas, garoto do São Paulo , era o homem mais próximo de um atacante enfiado entre os zagueiros, algo que nunca fez no seu time. No começo Hulk estava pela direita, como joga no Porto , e Neymar pela esquerda.

Aos dez minutos, o México controlava a partida e conseguiu o gol. Barrera cruzou direita e David Luiz, ao tentar desviar, jogou para dentro do gol brasileiro. Foi o primeiro gol tomado por Jefferson com a camisa da seleção, em sua primeira partida como titular.

Mano, que ressuscitou do armário o paletó e o sapato, mudou então a posição de Hulk e Neymar (que estavam batendo cabeça com Lucas). Na esquerda, Hulk passou a ser o protagonista, com pelo menos três bons chutes e um passe de calcanhar para Neymar, que errou a finalização quase na pequena área.

Sem empatar, Mano se desesperou no banco ao ver Daniel Alves empurrar o astro mexicano Javier Hernández, o Chicharito, do Manchester United . Pênalti e expulsão do lateral-direito, que já tinha recebido o amarelo. Jefferson cresceu e, como já tinha demonstrado em treinos na Copa América, sabe pegar pênaltis e defendeu o de Guardado. Foi a quarta expulsão da era Mano (Ramires, Hernanes e Lucas Leiva já tinham recebido o vermelho).

Jogadores e técnico da seleção reclamam de marcação de pênalti para o México
Mowa Press
Jogadores e técnico da seleção reclamam de marcação de pênalti para o México

A virada
Neymar e Ronaldinho Gaúcho estavam apagados no segundo tempo. O camisa 10, mais uma vez capitão da equipe, foi o mais aplaudido ao entrar em campo, era ovacionado pelos torcedores quando cobrava escanteios (os torcedores ficam bem próximo do campo), mas não acertava passes. Neymar parecia cansado, fazendo seu 58° jogo na temporada.

Com um a menos, e sem o “centroavante” Lucas, Mano centralizou Hulk, deixando Neymar ao lado de Ronaldinho mais recuado. Em um contra-ataque, os queridinhos dos mexicanos tabelaram, Ronaldinho entrou na área mas chutou fraquinho, fraquinho.

Quando parecia que o Brasil de Mano perderia mais uma, a estrela de Ronaldinho brilhou. E sua categoria também - ele cobrou uma falta no ângulo de Sanchez, que nada pôde fazer. Golaço. Cinco minutos depois, Marcelo tabelou com Neymar, invadiu a área e chtuou para marcar. Um ufa de Mano Menezes no banco de reservas, que conseguiu a vitória sobre um rival bem ranqueado na Fifa – 20° lugar.

FICHA TÉCNICA
MÉXICO 1 X 2 BRASIL

Data: 11 de outubro de 2011
Horário: 22h30 (de Brasília)
Local: Estádio Território Santos Modelo, em Torreón (México)
Gols: David Luiz (contra), aos 10min do 1°T, Ronaldinho Gaúcho, aos 33 min do 2T, Marcelo, aos 39min do 2°T
Cartões amarelos: Salcido, Juarez (México), Daniel Alves, Lucas Leiva (BRA)
Cartões vermelhos: Daniel Alves (BRA)
Árbitro: Marlon Mejía (El Salvador)
Auxiliares: Daniel Williamson (Panamá) e Octavio Jara (Costa Rica)
Público: Não divulgado
Renda: Não divulgada
México: Sánchez (Talavera); Juárez (Perez), Rodríguez, Rafa Marquez e Salcido; Castro, Torres (Moreno), Barrera e Guardado (Andrade); Giovanni dos Santos e Javier “Chicharito” Hernández. Técnico: José Manuel de la Torre

Brasil: Jefferson; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Lucas Leiva, Fernandinho e Ronaldinho Gaúcho (Hernanes); Lucas (Adriano), Hulk (Jonas) e Neymar (Elias). Técnico: Mano Menezes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.