Além de vencer, equipe de Campinas precisa de uma derrota do Joinville diante do Oeste para ficar com o título

Sem chances de vaga na Série A - e tampouco risco de rebaixamento -, o Náutico terá a difícil missão de parar a motivada Ponte Preta, que chega à última rodada ainda brigando pelo título, a dois pontos de distância do líder Joinville. O duelo decisivo está marcado para este sábado, às 16h20 (de Brasília), na Arena Pernambuco, que pode se tornar o palco da maior conquista da história pontepretana.

Antes de pensar em vencer a Macaca, o Náutico precisa superar a crise interna que se instaurou pelo atraso dos vencimentos do elenco.

O primeiro passo para resolver a situação foi dado na manhã desta sexta-feira, quando o grupo aceitou o pagamento de parte do acordo (os direitos de imagem de agosto e o valor previsto na carteira de trabalho de setembro). Depois da reunião, os atletas desceram para o gramado do CT Wilson Campos, sem falar com a imprensa.

A princípio, o grupo realizou um trabalho físico. Em seguida, deram início a um treino com bola, enquanto Pedro Carmona - ainda se recuperando de uma lesão - trabalhou à parte. Apesar da evolução, o técnico Dado Cavalcanti optou por não concentrar o elenco, liberando os jogadores. Os relacionados serão convocados por telefone e só precisarão se apresentar ao treinador cinco horas antes do jogo.

Do lado pontepretano, a esperança está nos 90 minutos que definirão para onde vai a taça da Série B 2014, uma vez que os olhos da Macaca estarão voltados também para Itápolis, onde o Joinville visita o Oeste no mesmo horário. A expectativa é de que o Rubro-Negro dê trabalho ao Tricolor, já que os paulistas ainda lutam contra o rebaixamento.

Nesta sexta, na Ilha do Retiro, o técnico Guto Ferreira encerrou a preparação para o confronto. O lateral-direito Rodinei segue como dúvida, com o joelho inchado. Além dele, Fernando Bob está suspenso pelo terceiro amarelo. A mudança principal deve ocorrer no ataque, com a entrada de Alexandro no lugar de Cafu.

Dependendo da vitória sobre o Timbu e de uma derrota do Joinville - o empate não basta, pois o JEC ainda permaneceria à frente pelo maior número de vitórias -, o técnico Guto Ferreira adotou uma palavra de ordem na Ponte: fé.

"Já falei, é fé e fé. Não existe 99% de fé. Ou você acredita ou não. O que me leva a acreditar? Não sei, intuição. Tem alguém me dizendo isso aqui, é isso. Acreditar em nome de todo o nosso trabalho, mesmo com todos os erros na reta final. Mas algo aqui dentro me diz que nós vamos conseguir", declarou o treinador que, curiosamente, substituiu Dado Cavalcanti - hoje técnico do Náutico - no comando da Ponte em agosto.

O comandante também avaliou a pressão gerada pela grandeza do sonho da Macaca, que pode conquistar o segundo título de seus 114 anos de história - o primeiro e único até hoje é a divisão de acesso ao Campeonato Paulista, em 1969.

"Você tem uma única partida, não vai mudar nada se não conseguirmos. Não em termos do sonho, em termos de resultado na competição. Nós temos que tirar a pressão dos jogadores, jogar a possibilidade do sonho. A pressão por si só não leva a lugar nenhum. Pressão só amolece a carne na hora que está cozinhando dentro da panela. No mais, quando é feita de uma maneira errada, dá prejuízo", alertou Guto.

FICHA TÉCNICA:
NÁUTICO-PE x PONTE PRETA-SP

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)
Data: 29 de novembro de 2014, sábado
Hora: 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Assistente: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Quarto árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)

NÁUTICO: Júlio César; Neílson, Renato Chaves, Luiz Alberto e Gastón Filgueira; Elicarlos, João Ananias e Vinícius; Sassá, Marinho e Bruno Furlan
Técnico: Dado Cavalcanti

PONTE PRETA: Roberto; Rodinei (Jeferson), Tiago Alves, Gilvan e Bryan; Juninho, Adilson Goiano, Renato Cajá e Roni; Alexandro e Rafael Costa
Técnico: Guto Ferreira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.