Em evento no Rio de Janeiro, ex-jogador diz que é contra os atos racistas, mas minimizou o episódio entre o goleiro do Santos e a torcida do Grêmio, pela Copa do Brasil

Conhecido por suas declarações polêmicas, Pelé ampliou a coleção de pérolas nesta quarta-feira. Durante um evento de um patrocinador no Rio de Janeiro, o ex-jogador palpitou sobre o turbulento caso de racismo que envolveu o goleiro Aranha, do Santos , em jogo pela Copa do Brasil diante do Grêmio . "Acho que o Aranha se precipitou um pouco em querer brigar com a torcida. Se eu fosse parar o jogo cada vez que me chamasse de macaco ou crioulo, não tinha jogo", afirmou, em entrevista ao canal SporTV.

Embora tenha pedido maior rigor contra os atos de racismo, Pelé demonstrou que a forma encontrada pelo goleiro santista não foi a ideal. "O torcedor, dentro de sua animosidade, grita. Acho que temos que coibir o racismo, mas não é em um lugar público que vai coibir. O Santos tinha Doval, Mengálvio, Pelé... Só o Pepe era branco. Iríamos jogar na Bahia, no interior, e nos xingavam de tudo quanto é nome. Quanto mais atenção der para isso, mais vai aguçar. Tem que coibir o racismo. Com pobre, há discriminação também", afirmou o eterno ídolo santista e da seleção brasileira.

Veja imagens de casos de racismo no futebol brasileiro

Pelé também lembrou de outra polêmica com atos racistas envolvendo jogadores brasileiros para sustentar a sua tese. "Vocês se lembram que Daniel Alves descascou uma banana, comeu e bateu escanteio. Ninguém falou mais nada sobre racismo. Se ele tivesse jogado banana no público, até hoje falaríamos disso", afirmou.

Críticas à seleção

Pelé também reservou críticas à seleção brasileira  e ao fato de ter apenas o atacante Neymar como destaque individual. Para ele, não é possível conquistar o título mundial com apenas um jogador e diz que havia alertado sobre as deficiências do Brasil antes da Copa do Mundo.

“Nós estamos falando de uma seleção brasileira e o único jogador que o pessoal lembra é do Neymar. Não se pode ganhar o Mundial com um jogador”, disse Pelé. “Eu já vinha dizendo, já vinha mais ou menos preparado, infelizmente, para a decepção que nós tivemos com a seleção brasileira... eu já tinha adiantado que a seleção brasileira estava muito bem do meio-campo para trás, estava certo, mas estava com muita dificuldade de fazer gols e que o ataque não estava bem”, afirmou.

Pelém também comentou o desempenho da seleção brasileira nos dois primeiros jogos sob o comando do técnico Dunga, as vitórias de 1 a 0 sobre a Colômbia e também o Equador.

"Com a entrada do Dunga, eu espero que a gente possa formar uma nova seleção para a Copa do Mundo. Naturalmente, a maioria desses jogadores que estiveram aí não vai estar. Mas eu confio no futebol brasileiro, conheço o Dunga, acho que é uma pessoa séria para trabalhar e vamos torcer para que tudo dê certo”, declarou Pelé.

* Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.