Tamanho do texto

Nesta sexta-feira, o arqueiro disputou a terceira partida como titular da seleção brasileira

Um dos únicos jogadores poupados pela torcida no amistoso desta sexta-feira, contra a África do Sul, o goleiro Diego Alves ficou satisfeito com seu desempenho à frente da meta da seleção brasileira. Essa foi a terceira oportunidade do arqueiro na equipe nacional. Convocado dez vezes, ele já havia atuado em outras oportunidades sob comando do técnico Mano Menezes, nos amistosos diante de Gabão e Egito.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Eu tenho que ir trabalhando pouco a pouco. A confiança não vem de uma hora para outra. O trabalho vem sendo feito, e tive oportunidade. Acho que correspondi à altura. O sistema defensivo todo foi muito bem", disse o jogador do Valencia.

Leia mais:  Torcida não dá trégua, grita olé para toque africano e pede Tufão

A única grande defesa de Diego Alves na partida foi aos 11 minutos. Gaxa tabelou, invadiu a área e chutou rasteiro. O brasileiro levou a mão esquerda à bola e impediu o tento sul-africano. Apesar disso, a seleção encontrou dificuldade para fazer o gol da vitória, com Hulk, no segundo tempo, e foi bastante vaiada.

Veja também:  Mano nega intenção de "fritar" Neymar e atacante estranha vaias

"É difícil jogar contra um time que marca atrás. É complicado entrar. Às vezes tem que entrar por fora. Mas no segundo tempo a gente conseguiu e marcamos um gol", comentou o goleiro, que tem, nesta convocação, a concorrência do botafoguense Jefferson e do corintiano Cássio.

* com Gazeta