Entenda as principais diferenças entre a F1 e a provável nova categoria do brasileiro

O piloto Rubens Barrichello está prestes a realizar uma grande mudança em sua carreira. Depois de 19 anos disputando a Fórmula 1, ele está perto de fechar com a Indy para correr a temporada 2012 pela equipe KV Racing, a mesma de Tony Kanaan.

Leia também: Petrov é anunciado na vaga de Trulli na Caterham

Rubinho tem bons exemplos para seguir de competidores que saíram da F1 para fazer sucesso na Indy , como Emerson Fittipaldi, Mario Andretti e Nigel Mansell. No entanto, a adaptação do brasileiro deve levar tempo. Isso porque, apesar de parecerem semelhantes, as duas categorias carregam muitas diferenças.

Para começar, a Indy é famosa por seus circuitos ovais, que não existem na F1 e são bem mais rápidos do que as pistas que Barrichello está acostumado. Os carros também são bem diferentes. O da Indy é maior, mais pesado e menos potente que o da F1, apesar de chegar a maiores velocidades por causa dos traçados que percorre.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

Ao contrário da principal categoria do automobilismo mundial, em que cada escuderia desenvolve o seu chassi e escolhe sua fornecedora de motores, na Indy, que tem um orçamento menor, todos os times recebem o mesmo chassi, fornecido pela Dallara, e usam o mesmo motor Honda. Assim, há mais equilíbrio entre os carros e a experiência dos pilotos conta ainda mais, assim como a estratégia de paradas.

Outra diferença crucial entre as duas categorias são os pit stops. Na Indy, os carros são reabastecidos durante as paradas, algo que não é permitido na F1 desde 2010. Vale lembrar que as provas da Indy costumam ser mais longas. A mais famosa delas, as 500 milhas de Indianápolis, costuma levar mais de três horas para ser completada, sendo muito cansativa para os pilotos. As 500 milhas ainda têm mais uma curiosidade com a qual Rubinho terá de se acostumar: ao invés do famoso champanhe, a comemoração no pódio é regada a leite.

Prova mais tradicional da Indy, as 500 milhas de Indianápolis são disputadas em um circuito oval
Getty Images
Prova mais tradicional da Indy, as 500 milhas de Indianápolis são disputadas em um circuito oval

Siga o iG Automobilismo no Twitter

O brasileiro ainda terá um desafio a mais, já que os pneus usados na categoria americana são da Firestone. Ele terá que começar do zero para aprender a lidar com os compostos, de desempenho nada similar com os fornecidos pela Pirelli.

Uma última mudança importante será em relação à visibilidade das categorias. Apesar de ser muito popular nos Estados Unidos, seu país de origem, a Indy não tem nem de perto a visibilidade que a Fórmula 1 possui no resto do mundo. Acostumado a disputar provas em diversos países (no ano passado foram 18), o piloto verá suas atividades restritas a Estados Unidos e Canadá, além de uma etapa no Brasil e outra na China.

Rubinho fez os primeiros testes pela Indy no começo do mês, depois do convite de seu amigo Tony Kanaan. Depois de impressionar com seu desempenho, segue em negociação para fechar com a KV Racing para está temporada, que tem início no dia 25 de março, na Flórida.

Confira a seguir mais informaçõs sobre as duas categorias:

Fórmula 1

- Número de competidores: 24
- Circuitos: Não tem ovais
- Número de provas: 20
- Locais de provas: Australia, Malásia, China, Bahrein, Espanha (2), Mônaco, Canadá, Grã-Bretanha, Alemanha, Hungria, Bélgica, Itália, Cingapura, Japão, Coreia do Sul, Índia, Abu Dhabi, Estados Unidos, Brasil
- Duração das provas: Limite de no máximo 2h
- Largada: Estática
- Pit stops: Sem reabastecimento
- Sistema de pontuação: 10 primeiros pontuam. O primeiro colocado recebe 25 pontos, enquanto o 10º recebe 1.

Indy

- Número de competidores: Por volta de 30 carros (depende de cada prova)
- Circuitos: Ovais e mistos
- Número de provas: 16
- Locais de provas: Estados Unidos, Brasil, Canadá e China
- Duração das provas: Depende do circuito, a mais longa são as 500 milhas de Indianápolis, que dura mais de 3h
- Largada: Em movimento
- Pit stops: Com reabastecimento
- Sistema de pontuação: Todos pilotos pontuam. O melhor colocado recebe 50 pontos, enquanto os piores colocados recebem 10


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.