Tamanho do texto

"Eles estão pagando o preço pela arrogância deles com o meu caso", afirma o jogador de vôlei de praia

Divulgação
Pedro Solberg chegou a ser suspenso depois de erro de laboratório carioca
O Ladetec (Laboratório de Controle de Doping) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), responsável por um exame que apontava erroneamente o doping do jogador de vôlei de praia Pedro Solberg por esteróide androstane,  foi suspenso por seis meses pela Wada (Agência Mundial Antidoping, na sigla em inglês). Para o atleta, a punição ao laborátório é justa, mas branda.

Leia também: Laboratório antidoping no Rio é suspenso por erro em teste

"Nada mais justo do que eles receberem uma suspensão. É o mínimo que poderia ter acontecido. Deveriam ter uma suspensão de dois anos, que é o mesmo que acontece com um atleta que é pego com uma substância estimulante", disse Pedro Solberg em entrevista ao iG .

O atleta foi pego no antidoping e suspenso pela FIVB (Federação Internacional de Vôlei) em julho de 2011. Em agosto, ele foi liberado para voltar a jogar por causa de uma suspeita de erro nos exames feitos pelo laboratório do Rio de Janeiro. No final de outubro, saiu o resultado de um novo exame que Solberg fez por conta própria na Alemanha. Com o laudo negativo, o jogador foi absolvido da acusação de doping e o caso foi arquivado pela FIVB (Federação Internacional de Vôlei).

Relembre o caso: Erro em antidoping suspende punição aplicada a Pedro Solberg

Entretanto, Pedro Solberg ainda reclama das atitudes do laboratório carioca. "Eles estão pagando o preço pela arrogância deles com o meu caso", afirmou em entrevista por telefone. "Eu fiquei sofrendo sozinho e eles colocaram a minha carreira em risco. E depois que foi comprovado que era um erro deles, eles não me pediram desculpas, não publicaram nenhuma nota", completou.

Desde o primeiro resultado, o jogador se dizia inocente. Ele procurou médicos e fez outros testes até ter a inocência comprovada. Agora, para ele, a suspensão do Ladetec pela Wada é mais uma prova disso. "Não foi um alívio para mim porque eu estava tranquilo desde o começo. Eu sabia que não era culpado. Mas foi um alívio para os que ainda duvidavam de alguma coisa. Foi bom que a Wada se pronunciou para acabar de vez com qualquer dúvida que alguém poderia ter", falou.

Pedro Solberg se prepara para abrir a temporada 2012 do vôlei de praia com a disputa do torneio Rei da Praia, no dias 25 e 26 de fevereiro, em Ipanema, no Rio de Janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.