Tamanho do texto

Times lideram suas séries semifinais e entram em quadra na noite de sexta-feira e na manhã de sábado

Divulgação
Sollys/Nestlé, de Jaqueline, venceu a primeira da série semifinal contra o Usiminas/Minas
A história pode se repetir mais uma vez na Superliga feminina. A final da edição 2011/2012 do torneio pode colocar mais uma vez frente a frente Sollys/Nestlé e Unilever. As equipes lideram as suas séries semifinais e jogam nesta sexta-feira e neste sábado. Com mais uma vitória, eles avançam para a oitava final consecutiva.

Leia também: Rodada com tetracampeões e azarão x favorito define semi da Superliga

O Sollys/Nestlé, atual vice-campeão, venceu o Usiminas/Minas por 3 sets a 1 em casa e, agora, reencontra as mineiras em Belo Horizonte nesta noite, às 18h45. Se o Minas levar a melhor e empatar a série melhor de três, o jogo que decide o finalista será na próxima sexta, dia 6 de abril, também às 18h45.

Deixe seu recado e comente com outros torcedores

O time de Osasco evita euforia depois de ter vencido a primeira partida. "Trazer alguma vantagem pela vitória no primeiro jogo seria criar uma expectativa que não vai nos ajudar em nada", explica o técnico Luizomar de Moura.

A central Thaísa se diz confiante, mas ressalta as qualidades do time de Minas. "Estamos esperando um jogo muito difícil. O Usiminas tem grandes bloqueadoras, o que pode dificultar a nossa vida e, além disso, uma das grandes características da equipe é ser muito aguerrida. Elas não desistem nunca. Isso sem contar que teremos toda uma torcida contra, tentando nos atrapalhar", afirma.

Leia também: Brasil pega Colômbia e Uruguai na 1ª fase do Pré-Olímpico feminino

No Usiminas/Minas, o fator casa pode ajudar a empatar a série nesta noite. "Só tivemos duas derrotas em casa nessa temporada e contamos com esse apoio dos torcedores. Estamos convocando todos, já que para o nosso time é muito importante jogar em casa. Esse tem sido um fator positivo ao longo de toda a competição", comenta Jarbas, treinador da equipe.

Univeler, que venceu o time de Osasco na final do ano passado, também pode já garantir sua vaga na final
Divulgação
Univeler, que venceu o time de Osasco na final do ano passado, também pode já garantir sua vaga na final

No sábado, às 10h, será a vez da Unilever, atual campeã e dona de sete títulos nacionais, tentar fechar a sua série diante do Vôlei Futuro no Maracanãzinho. Em caso de vitória do time de Araçatuba, o terceiro jogo será de novo no Maracanãzinho, na próxima sexta-feira, às 21h.

O Unilever venceu a primeira da série por 3 a 0 depois de uma atuação arrasadora no bloqueio, com 19 pontos no fundamento. Agora, entretanto, Bernardinho espera equilíbrio. "A primeira partida foi atípica. A equipe de Araçatuba não teve uma noite feliz, o que facilitou o nosso trabalho. Por outro lado, jogamos bem, cometemos poucos erros. Precisamos seguir nesse padrão, pois não tem nada garantido. Araçatuba é uma grande equipe, com jogadoras de alto nível", diz. "A série continua aberta e precisamos da vitória", completa a líbero Fabi. 

*com agências

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.