Tamanho do texto

Cimed/Sky, que já venceu quatro vezes a Superliga masculina de vôlei, será comandada pelo campeão olímpico Douglas

Divulgação
Pacheco conversa com João Paulo durante partida da Cimed/Sky na Superliga masculina
Jogadores e torcedores da Cimed/Sky , que conta com estrelas como Gustavo, Giba e Bruninho , foram pegos de surpresa na quinta-feira. Depois de sete anos na equipe, o técnico Marcos Pacheco pediu demissão. Em entrevista exclusiva ao iG , Pacheco diz que deixou o time por motivos pessoais e nega que sua saída tenha sido motiva pela chegada de Giba e Gustavo ou do campeão olímpico Douglas a sua comissão técnica.

Leia também: Superliga tem vitória do Minas sobre Sesi e zebra diante do Cimed

"Sou um cara muito cabeça dura para mudar e vi que as minhas verdades e meus princípios não estavam mais batendo com o projeto. Foi uma decisão pessoal. Não posso chegar para um cara como um Bruninho e pedir para ele bater no peito e acreditar se eu não acredito mais", afirma Pacheco.

Blog Mundo do Vôlei: Como estava e ficará a Cimed/Sky com a saída do treinador?

O ex-treinador, entretanto, não quis dar detalhes sobre a sua decisão. "Ainda está muito recente e prefiro não falar muito mais sobre isso ainda. Só garanto que foi uma decisão pessoal. A maneira de trabalhar com o grupo não estava sendo a ideal", comenta.

Desde o anúncio da demissão, foi-se especulado que as chegadas de Giba e Gustavo incomodavam de alguma maneira. Os dois foram para o time catarinense junto com o novo patrocinador, mas foram pouco utilizados. Giba ainda se recupera de uma fratura por estresse na canela esquerda e só deve voltar a atuar nos playoffs da Superliga. Gustavo está bem fisicamente, mas já foi deixado no banco por uma opção do técnico.

Sorrisos de Gustavo e Pacheco na apresentação dos reforços da Cimed/Sky
Vipcomm
Sorrisos de Gustavo e Pacheco na apresentação dos reforços da Cimed/Sky
"Falar que saí por causa do Gustavo ou do Giba? Isso é um absurdo. Depois que os jogadores souberam da demissão, todos eles, inclusive os dois, foram até a minha casa pedir para eu não sair. Teve gente que falou que iria me internar com camisa de força. Eles não entenderam, mas aceitaram a minha decisão", afirmou Pacheco.

Emocionado, o técnico não conseguiu contar sobre a decisão aos atletas. "Conversei com o Renan (diretor esportivo da equipe) e teria uma reunião com a comissão e, depois, com eles. Mas quando cheguei ao ginásio, eu não consegui nem tocar no assunto", lembra.

Douglas, campeão olímpico em Barcelona, também foi apontado como possível pivô da saída de Pacheco. Ele chegou ao time após a saída de Renato Banana, que foi atleta de Pacheco e, depois, parte da comissão. "O Banana era um cara da minha equipe, que já jogou comigo. Foi uma das coisas que me deixou desconfortável.

O ex-técnico nega interferência exagerada de Douglas em seu trabalho. "Ele dava as opiniões dele e era isso que eu esperava. Se tivesse um cara omisso na minha comissão seria uma tragédia. Ele já tinha sido meu jogador e é um cara sensacional. Minha saída não tem absolutamente nada a ver com ele", explica Pacheco. Douglas irá assumir a equipe de forma interina.

Volta Redonda bateu a Cimed/Sky Foi apenas a segunda vitória do time no torneio
Divulgação
Volta Redonda bateu a Cimed/Sky Foi apenas a segunda vitória do time no torneio

A Cimed/Sky está na quinta colocação na tabela da Superliga 2011/2012. Foram duas derrotas seguidas, para o líder Sesi, por 3 sets a 1 fora de casa, e para o Volta Redonda, o vice-lanterna, por 3 a 0 em casa. "A derrota para o Volta Redonda foi o detonador da minha decisão. Depois do jogo, fiquei pensando e não me lembro de uma derrota da Cimed por 3 sets a 0 em casa como aquela. Saí do jogo convicto da minha decisão, mas tinha que conversar com a minha esposa e coma minha filha, que tem 12 anos. Elas me apoiaram e, no dia seguinte, eu fui falar com pessoal do clube", conta. "99% achou que eu estava louco, mas eu tenho as minhas verdades".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.