Tamanho do texto

Outras atletas que se destacaram na Superliga foram contratadas, como as pontas Gabriela e Sonia e as centrais Marina e Natália

O sucesso da equipe masculina do Sesi empolgou os dirigentes. Após conquistar o título da Superliga com apenas dois anos de existência, eles resolveram investir mais e lançaram nesta segunda-feira um novo time feminino de vôlei, que já estará em ação na temporada 2011/12.

A principal estrela é a ponteira Sassá, medalhista de ouro com o Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Outras jogadoras renomadas foram contratadas, como a levantadora Dani Lins, reserva da seleção, e a experiente oposta Elisângela, que já chegou mostrando confiança.

"Nenhuma equipe é imbatível", declarou, quando perguntada se é possível quebrar a hegemonia de Unilever e Sollys/Osasco, que fizeram as sete últimas finais da Superliga Feminina. "No ano passado, as finalistas perderam partidas para times teoricamente inferiores, o que mostra que o vôlei feminino é cheio de surpresas."

O time será comandado por Talmo de Oliveira. "Gostei muito deste projeto. Sei que aqui, desde o início, poderemos implementar uma trajetória vencedora", disse o campeão olímpico de 1992, ainda como jogador, que estava no comando da equipe masculina do BMG/Montes Claros.

Outras atletas que se destacaram na última Superliga foram contratadas, como as pontas Gabriela e Sonia e as centrais Marina e Natália Martins.

Jaqueline
Já o sonho de contar com Jaqueline está encerrado, pelo menos até a próxima temporada. A jogadora do Osasco estava grávida, mas perdeu o bebê, e por enquanto não se pronunciou sobre seu futuro. No entanto, mesmo que quisesse, ela não poderia defender o Sesi.

"Este time que montamos já tem pontuação 31, e o máximo permitido pela CBV é 32. A Jaqueline tem pontuação sete, então não teríamos como contratá-la", lamentou José Montanaro, supervisor de voleibol do Sesi.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.