Tamanho do texto

O jogador aproveitou o clima de festa para encerrar a polêmica entre ele e o líbero Serginho, do Sesi, que andaram se estranhando nas últimas partidas

"É tão bom ganhar um Paulista quanto um Mundial. Essa energia, o público que vibra, não tem preço. E do outro lado time um time como o Sesi", afirmou Vissotto, que ajudou a equipe de Araçatuba a conquistar o primeiro título regional desde sua criação, em 2002.

O jogador aproveitou o clima de festa para encerrar a polêmica entre ele e o líbero Serginho, do Sesi, que andaram se estranhando nas últimas partidas. Após o apito final, Vissotto abraçou o companheiro de seleção brasileira e pediu desculpas pelo ocorrido. "Isso já morreu. Acho que é vontade de ganhar. Isso acontece no jogo, tem que finalizar ali", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.