Tamanho do texto

Ingressos para a final, que se esgotaram totalmente na última quarta-feira, eram vendidos por valores entre R$ 20 e R$ 30

Horas antes do confronto entre Unilever e Sollys/Nestlé pela final da Superliga feminina, neste sábado, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, a presença de cambistas agindo com tranquilidade era grande. Quem saia do metrô do Maracanã já era abordado para comprar ou vender entradas para a final do vôlei.

Leia mais: Para Bernardinho, hegemonia de Rio e Osasco está chegando ao fim

Todos os ingressos esgotaram na última quarta-feira e os cambistas cobravam entre R$ 20 e R$ 30 por uma entrada de estudante. As entradas inteiras, nas bilheterias, custavam R$ 40 (pista) e R$ 20 (arquibancada). Por conta da ação dos cambistas, alguns espaços no Maracanãzinho ficaram vazios.

Confira ainda: Perto do adeus, Venturini curte último treino da carreira

A torcida do Sollys/Nestlé compareceu em bom número, ocupando cerca de 20% do ginásio. Foram colocados cerca de 12 mil ingressos a venda. A final entre Unilever e Sollys/Nestlé é a oitava seguida na Superliga feminina. O time do Rio de Janeiro venceu cinco edições, enquanto o clube de Osasco levou duas vezes o torneio.

Unilever e Osasco reeditam a final da Superliga feminina pela 8ª vez
Divulgação
Unilever e Osasco reeditam a final da Superliga feminina pela 8ª vez

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.