Tamanho do texto

Na segunda semana do torneio, seleção dos EUA venceu por 3 a 2. Com o resultado, Brasil fica com um ponto

EFE

Seleção do Brasil perdeu para os EUA por 3 sets a 2, na China
Divulgação
Seleção do Brasil perdeu para os EUA por 3 sets a 2, na China

Pedra no sapato da seleção feminina do Brasil nos últimos anos, os Estados Unidos venceram novamente a equipe comandada por José Roberto Guimarães na madrugada desta quarta-feira em Ningbo, na China, na estreia das duas equipes na fase final do Grand Prix.

O que você achou da partida? Deixe seu recado

Na segunda semana do torneio, as americanas já haviam derrotado as brasileiras em São Bernardo do Campo por 3 a 1. Desta vez, o revés foi por 3 a 2, com parciais de 25/19, 25/20, 20/25, 13/25 e 15/13. Com o resultado, os EUA somam dois pontos e mantêm sua invencibilidade de dez partidas, enquanto o Brasil fica com um ponto.

Blog Mundo do Vôlei: Derrota para o EUA e discurso repetido. Quando vai mudar?

"O time começou apático. Depois fomos nos encontrando. Sabíamos que essa partida seria difícil. As americanas defendem muito bem e têm muito volume de jogo. Nos recuperamos no confronto, mas não foi o suficiente", avaliou Sheilla, maior pontuadora do confronto com 22 acertos. O Brasil igualou a partida após perder os dois primeiros sets, mas falhou no tie-break. 

"Não começamos bem e isso não pode acontecer. Os Estados Unidos jogam muito bem taticamente e não cometem erros bobos. Crescemos no jogo, mas o tie-break foi decidido nos detalhes", comentou a líbero Fabi. 

Entrevista exclusiva:  Musa, Mari Paraíba dá tempo no vôlei e revela até apoio do pai para ensaio nu

Com o resultado, a seleção acabou o primeiro dia da fase final do Grand Prix em quarto lugar. A liderança do torneio está nas mãos da China, que venceu Cuba por 3 sets a 0, também nesta quarta. As donas da casa levam vantagem sobre a Turquia, segunda colocada, no saldo de sets, já que no outro jogo do dia, as turcas passaram pela Tailândia por 3 sets a 1, com 25/22, 25/21, 20/25 e 26/24. Em terceiro lugar, com dois pontos a mais que o Brasil, estão as americanas.

A seleção feminina do Brasil volta à quadra nesta quinta-feira, às 8h30 (horário de Brasília), diante da China, que atua em casa. Na fase final do Grand Prix, todos (EUA, Brasil, Tailândia, Turquia, China e Cuba) jogam contra todos e quem somar mais pontos fica com o título. "Ainda temos chance e precisamos evoluir", disse Fabi. 

Jaqueline e Fabi partem para a bola na partida contra os Estados Unidos na fase final do Grand Prix
Divulgação/FIVB
Jaqueline e Fabi partem para a bola na partida contra os Estados Unidos na fase final do Grand Prix

O jogo

Mesmo sem levar sua equipe completa para a fase final do torneio, os EUA começaram melhores e não tiveram dificuldade para fazer 25 a 19 no primeiro set, vencendo também o segundo, por 25 a 20. A seleção se recuperou no terceiro set, parcial em que esteve na frente durante todo o tempo, até fechar em 25 a 20 após um ataque de Mari.

Leia ainda: Seleção feminina estreia nas Olimpíadas contra Turquia

A partir daí, o Brasil ganhou confiança, abrindo logo 6 a 2 no quarto set. As americanas, sem cinco titulares, acusaram o golpe e não conseguiram mais se recuperar nessa parcial, que perderam por 25 a 13. As duas equipes começaram o tie-break se revezando na frente, mas após um ataque de Paula Pequeno o Brasil conseguiu abrir dois pontos: 5 a 3.

Sentindo seu time desestabilizado, o treinado americano pediu tempo, que surtiu efeito, uma vez que sua equipe empatou em 8 a 8. Depois de um erro de Sheila e um levantamento equivocado de Thaísa, o Brasil viu as americanas abriram 11 a 9. A partir daí, a seleção se desesperou e viu a desvantagem crescer para 13 a 10, o que levou José Roberto Guimarães a pedir tempo. A intervenção até surtiu efeito, já que suas comandadas marcaram dois pontos em sequência.

A derrota, no entanto, não seria evitada, já que as americanas acordaram a tempo e fecharam em 15 a 13. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.