Tamanho do texto

Jogador que estava afastado da seleção desde 2007 está de volta, mas entrosamento ainda não é o ideal segundo Bernardinho

Ricardinho treina com a seleção brasileira para a Liga Mundia em São Bernardo
Vipcomm
Ricardinho treina com a seleção brasileira para a Liga Mundia em São Bernardo

De volta à seleção brasileira de vôlei após uma ausência de cinco anos, o levantador Ricardinho já vê evolução em seu nível técnico. No entanto, desde que retornou ao time comandado por Bernardinho, a equipe ainda não engrenou. O começo irregular, no entanto, foi tratado com naturalidade, tanto pelo jogador quanto pelo treinador.

Deixe seu recado e comente com outros torcedores

“É uma equipe quase que inteiramente nova para mim. Joguei com muitos deles, mas faz tempo. Até que pegue o ritmo de jogo e eles passem a confiar em mim preciso de tempo”, afirmou o jogador, logo após o treino desta manhã na cidade de São Bernardo do Campo.

Aos 37 anos, o levantador ainda não está garantido no grupo que busca a segunda medalha de ouro olímpica na era Bernardinho, mas tem o respaldo do técnico. “Achei que deveria afastá-lo por um episódio que não vou revelar e agora achei que ele merecia uma chance. A briga entre os dois levantadores está honesta”, avaliou o treinador.

Leia também:  Vissoto treina normalmente, mas não joga pela Liga no Brasil em São Bernardo

O Brasil se prepara para mais três jogos da Liga Mundial , contra Finlândia, Canadá e Polônia, neste feriado, no ginásio Adib Moyses Dib. As partidas devem mostrar uma evolução do trabalho, segundo Ricardinho. Para o levantador, o entrosamento tem melhorado, mas o nível técnico está longe do ideal.

“Ainda falta bastante. Temos melhorado a cada final de semana, mas ainda falta muito. O mais importante é ter muita cautela. Algumas pessoas precisam entender que eu não sou Deus e que a melhora vai vir com o tempo”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.