iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

13/05/2009 - 20:28

Sesi-SP anuncia equipe de vôlei masculino com Giovane no comando

Técnico já tem acerto verbal com alguns jogadores e não se assusta com “crise” no vôlei nacional

Por Aretha Martins, do iG Esporte

SÃO PAULO – Giovane Gavio já tem um novo emprego. Dois dias depois de a Unisul ter retirado o patrocínio e ter acabo com a equipe adulta masculina da cidade de Joinville, o técnico fechou com o Sesi (Serviço Social da Indústria) de São Paulo. A instituição montará um novo time adulto masculino que será apresentado oficialmente no dia 25 de maio.

“A idéia é ter uma equipe competitiva. Agora, com tudo assinado, vamos começar as negociações”, disse Giovane em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira. O primeiro nome praticamente confirmado no time é o oposto Anderson, medalha de ouro com a seleção em Atenas e prata em Pequim e destaque da Unisul na última Superliga. “Conversei com ele e a resposta foi: ‘Com você eu vou até a lua’”, contou o técnico. 

Além do oposto, Giovane também já tinha pré-contratos com os levantadores Daniel e Jotinha e com os centrais Gustavão e Thiago Barth. Segundo o técnico, esses atletas já estavam em negociação com a antiga Unisul e devem continuar no novo time. “Vamos começar as reuniões daqui a pouco”, completou.  De acordo com o técnico, agora a prioridade será a busca por atacantes de ponta. Todos os contratos com os jogadores serão de uma temporada.

Quem está totalmente descartado é o levantador Marcelinho, que foi afastado da Unisul nos playoffs da Superliga e teve seu contrato rescindido. “Não tem a menor chance de ele atuar na nossa equipe”, afirmou Giovane.

Crise no vôlei não assusta
Desde o final da Superliga 2008/2009, o vôlei sofre com uma crise com os patrocinadores. Além do Unisul, que anunciou o término da equipe masculina no começo desta semana, o time feminino do Brusque/Brasil Telecom acabou, o Ulbra passa por problemas e o Finasa deixou de patrocinar as atividades no alto rendimento. Esse cenário não assusta nem ao Sesi-SP e nem ao técnico Giovane.

“Não é uma crise no voleibol. Na Unisul, foi uma questão política. Houve uma troca de reitor e quem assumiu tinha uma visão diferente. No Brusque foi uma compra da empresa. Na Ulbra existem problemas com a universidade”, lembrou Giovane.

Para o técnico, os problemas com os times são pontuais, não uma crise generalizada no esporte. “Nós não precisamos seguir os outros. Não temos uma visão de empresa e sim uma visão de País. Ver todos esses casos me estimula ainda mais e me deixa ainda mais animado com o vôlei”, ressaltou Paulo Skaf, presidente do sistema Fiesp, sobre desafio de, pela primeira vez, ter um time profissional no Sesi.

Giovane ainda comentou que outras equipes já estão se preparando para a próxima temporada, o que afasta ainda mais a crise no esporte. “O Cruzeiro está reforçando a equipe, a Cimed já renovou o investimento e o Minas, por tradição, não vai montar um time ruim”, exemplificou.

Extinção do Finasa/Osasco abriu as portas
O Sesi-SP já havia demonstrado interesse em montar uma equipe de alto rendimento no vôlei com a extinção do Finasa/Osasco. “Assim que soube, pedi ao diretor do Sesi de Osasco informações e vi que havia uma grande chance de apoiarmos o time”, explicou Paulo Skaf.

A equipe feminina segue em Osasco, com novos patrocinadores, mas o interesse do Sesi em ter um time de alto rendimento foi um alerta para Giovane. “Já sabia do desejo e na mesma hora peguei o telefone e liguei para o Sesi para tentarmos um acordo”, falou Giovane. “Se não tivesse o episódio com o vôlei feminino, se não tivesse vazado o nosso interesse, talvez não tivesse dado certo agora”, continuou Paulo Skaf.

A decisão de montar um time de alto rendimento foi tomada nesta quarta-feira, depois de dois dias de reuniões. “A oportunidade apareceu e acreditei que pudesse dar certo”, falou Giovane. O time do Sesi terá sede em São Paulo e vai treinar e mandar seus jogos na Vila Leopoldina. “Será um trabalho muito duro, de muito esforço e suor dentro do que eu sempre sonhei em trabalhar. E começo a transformar esse sonho em realidade a partir de amanhã”, disse o técnico.

Além do vôlei, a instituição pretende investir em outros esportes. “Estamos dispostos e decididos a isso. Estamos estudando outras modalidades e tomando essa decisão, de começar com o vôlei, já entramos no esporte de alto rendimento e estamos estimulando as crianças”, concluiu Skaf.

Valores e imagem do novo time
A empresa Tigre, uma das patrocinadoras do antigo time do Unisul, queria manter a equipe, mas, segundo Giovane, a condição era que eles continuassem na cidade de Joinville. “O time era metade patrocinado pela Unisul, que retirou o patrocínio. A Tigre me disse que se eu ficasse, eles ficariam também junto com a prefeitura”, explicou Giovane. “Mas o orçamento que eu teria em São Paulo seria muito maior. Lá teria apenas a metade e o próprio presidente da Tigre me disse para não perder essa oportunidade”, completou.

Segundo o presidente do sistema Fiesp Paulo Skaf, os valores dos gastos com o time masculino do Sesi só serão revelados no dia 25 deste mês, na apresentação oficial do elenco para a temporada. “Tomamos a decisão sobre o time hoje e vamos ter o menor custo possível da melhor forma possível”, disse Skaf.

Além disso, o presidente do sistema Sesi também garante não preocupar as transmissões de jogos em TV aberta e com as emissoras que não falam o nome dos patrocinadores dos times, apontado pela Unisul como uma das causas do fim do apoio à equipe de Joinville. “O Sesi não é uma empresa. É uma instituição direcionada à prestação de serviço às pessoas. Não existe nenhuma preocupação, até porque o nome do time é apenas Sesi”, comentou Paulo Skaf.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

giovane sesi volei

Giovane
Novo equipe do ex-jogador terá sede na Vila Leopoldina, em São Paulo, e promete ser forte

Topo
Contador de notícias