Tamanho do texto

Governador de São Paulo admitiu não saber o que significa a sigla, mas elogiou a ex-tenista Maria Esther Bueno

Mesmo sem saber que a sigla ATP refere-se à Associação dos Tenistas Profissionais, entidade responsável pela organização do circuito mundial de torneios de tênis, o governador Geraldo Alckmin, acredita que a cidade de São Paulo é uma das capitais mundiais da modalidade.

Veja também : Agora em São Paulo, Brasil Open sonha com Djokovic, Nadal e Federer

Nesta quarta-feira foi oficializado que o Brasil Open , único torneio de nível ATP do País e realizado desde 2001 na Costa do Sauípe, será disputado em São Paulo no ano que vem. Os jogos ocorrerão no Ginásio do Ibirapuera e no Mauro Pinheiro, ambos no Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães.

"É uma grande conquista para São Paulo, que consolida a cidade como capital mundial de tênis", disse Alckmin, nesta quarta-feira, pouco antes de demonstrar seu desconhecimento sobre o assunto. "Só estou tentando descobrir ainda o que é ATP", afirmou o governador.

Curitiba receberá partidas da Fed Cup

Além do ATP 250 brasileiro, São Paulo receberá nos próximos meses outros dois torneios importantes. Em novembro, ocorre o ATP Challenger Finals, que reúne os sete tenistas com melhores resultados em challengers da temporada e o convidado Thomaz Bellucci , número 1 do Brasil. Já em janeiro, o Aberto de São Paulo, challenger realizado no Parque Villa Lobos.

Mesmo com pouca intimidade com o circuito profissional de tênis, o governador de São Paulo afirmou que o Estado tem tradição no esporte, citando até imigrantes britânicos do século XIX para comprovar sua tese.

"Nós já temos uma tradição no tênis. Remontando ao século XIX, os ingleses que vieram para cá, da Light Power e da Railway, dois séculos atrás já jogavam tênis", disse Alckmin.

O governador ainda aproveitou a presença de Maria Esther Bueno na oficialização da mudança de sede do Brasil Open para reforçar seu discurso. Ele não poupou elogios à campeã de sete Grand Slams nas décadas de 1950 e 1960, de quem recebeu de presente uma raquete de tênis.

"Embora uma república federativa, o Brasil tem rei e rainha. O Rei Pelé e a Rainha Maria Esther Bueno. Temos uma bela história ligada ao tênis e não tenho dúvidas que o Brasil vai estimular ainda mais esse esporte, cada vez mais popular e de presença internacional", discursou.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.