Tamanho do texto

Torcida local vive euforia com atuações “maduras” do tenista, que pode ser o primeiro britânico a vencer um Grand Slam desde 1936

Esta é a 125ª edição de Wimbledon . E faz 75 anos que nenhum britânico consegue vencer o torneio. Contexto que deixa a vida do escocês Andy Murray , digamos, mais agitada nesta época do ano. Reconhecidamente um tenista talentoso, o número 4 do mundo tem sido a principal esperança da torcida local há alguns anos para quebrar o longo tabu. Jejum de títulos, aliás, que não se restringe à Wimbledon. Nenhum britânico venceu qualquer Grand Slam desde 1936, quando Fred Perry levantou seu tricampeonato nas gramas londrinas.

Nesta sexta-feira, Murray venceu o croata Ivan Ljubicic , por 3 sets a 1 (6-4, 4-6, 6-1 e 7-6), avançou às oitavas de final da competição e renovou as esperanças dos britânicos.

“Chegou a hora do Andy vencer Wimbledon. Ele está mais maduro e confiante em relação aos últimos anos. Eu acredito que vai ser campeão neste ano”, diz a inglesa Abbie Rogers, que pintou a bandeira do Reino Unido no rosto e escreveu “Eu amo Andy (Murray)” no braço, antes de prestigiar o jogo do ídolo no All England Club.

Abie Rogers exibe na pele amor ao tenista britânico
Felipe Rocha
Abie Rogers exibe na pele amor ao tenista britânico

A sensação em Londres é de uma mistura de euforia com ceticismo. Parece consenso que Murray está confiante e mais preparado para vencer um Grand Slam, o que gera um entusiasmo nos mais otimistas. Confiança potencializada após o título do escocês em Queen´s , torneio que antecede Wimbledon. Mas há também o outro lado da moeda. Murray tem um grande problema para resolver, ou melhor, três grandes problemas: Rafael Nadal, Roger Federer e Novak Djokovic.

Estátua de Fred Perry, último campeão britânico de um Grand Slam
Felipe Rocha
Estátua de Fred Perry, último campeão britânico de um Grand Slam
“Vejo o Andy Murray no mesmo nível deles. Talento e tênis para vencê-los, Murray já provou que tem. Agora falta conseguir fazer isso em uma final de Grand Slam”, disse ao iG o ex-tenista Greg Rusedksi. “Talento não falta, é hora de provar que ele tem cabeça para vencer os principais torneios da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais”, completou.

Murray perdeu as finais do Aberto da Austrália em 2010 e 2011, e do Aberto dos Estados Unidos em 2008. Em Wimbledon, a melhor campanha do escocês foi chegar às semifinais em 2009, quando saiu derrotado pelo americano Andy Roddick e, em 2010, quando perdeu para o espanhol Rafael Nadal.

”O que não podemos esquecer é que Andy Murray tem apenas 24 anos de idade. Tenho certeza que ele vai conseguir ser campeão em Wimbledon em breve”, opinou o torcedor escocês Ryam Ramsay.

O próximo adversário de Murray será o francês Richard Gasquet, que atropelou o italiano Simone Bolelli, por 3 sets a 0 (6-3, 6-2, 6-4), na terceira rodada.

Comércio da região se veste com tênis na torcida por Andy Murray
Felipe Rocha
Comércio da região se veste com tênis na torcida por Andy Murray

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.