Tamanho do texto

"Ele se movimentava de forma fantástica. É difícil imaginar que tenha problemas", disse o tenista espanhol

Os rivais Rafael Nadal e Novak Djokovic decidirão o quarto Grand Slam consecutivo na manhã deste domingo, no Aberto da Austrália. Na véspera do confronto, o espanhol tratou de fugir do favoritismo e questionou um suposto problema físico do tenista sérvio.

Leia também: Azarenka bate Sharapova com pneu, vence 1º Slam e é número 1

Nadal comemora a classificação para a final do Aberto da Austrália
Getty Images
Nadal comemora a classificação para a final do Aberto da Austrália
"Ele é o favorito pela maneira que joga, porque é o número 1, porque ganhou de mim nos últimos seis jogos e porque estamos no piso em que ele vai melhor", afirmou Nadal logo depois de realizar um treinamento de aproximadamente duas horas na Margaret Court Arena, neste sábado.

Em 29 confrontos com Djokovic desde a temporada de 2006, Nadal tem 16 vitórias. No entanto, o sérvio permaneceu invicto durante o ano de 2011, já que venceu os seis duelos do período, todos em finais (Wimbledon, Aberto dos Estados Unidos e os Masters 1000 de Roma, Madri, Miami e Indian Wells).

Apesar de colocar o rival como favorito, Nadal vê aspectos favoráveis para si próprio. "Se ele ganhar, se mantém. Se não ganhar, vai perder para alguém que havia derrotado seis vezes seguidas. Eu passei o que passei, fui para cima e vou sair bastante fortalecido tanto no meu jogo, quanto por somar mais pontos", declarou.

Djokovic demonstrou dificuldade para respirar nas quartas de final contra o espanhol David Ferrer e na semifinal diante do escocês Andy Murray, que durou 4h50min. O sérvio chegou a falar em uma alergia, mas Rafael Nadal não parece acreditar nas alegações do atual número 1 do mundo.

"No quinto set do jogo [contra Murray], ele se movimentava de forma fantástica. Colocavam imagens de 2h50min atrás e ele parecia destroçado. É difícil imaginar que tenha problemas. Não sei se é algo real ou um escudo. Por alguns momentos, parece cansado e, duas horas depois, continua correndo igual", questionou.

Djokovic terá um dia a menos para descansar para a decisão do que Nadal. Ao falar sobre o assunto, o espanhol lembrou a semifinal de 2009, quando venceu depois de mais de 5h e em seguida foi campeão sobre o suíço Roger Federer. "Se eu me recuperei há três anos depois de ganhar do Verdasco, não acho que ele terá problemas, porque seu jogo foi menos intenso", encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.