Tamanho do texto

Anésio Argenton, que tinha 80 anos, faleceu depois de sofrer complicações pós-operatórias

Morreu nesta terça-feira, 3 de outubro, o ex-ciclista , que estava com 80 anos. Argenton foi único ciclista da história do Brasil a conquistar uma medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos , feito realizado nos jogos de Chicago, em 1959. O ex-atleta sofreu de complicações depois da realização de uma circurgia para a retirada de um tumor no intestino. O corpo de Argenton foi sepultado no cemitério São Bento, em Araraquara, interior de São Paulo.

O ex-ciclista se destacou durante a década de 1950, quando conquistou diversos títulos dentro e fora do Brasil. Entre outros, ele venceu todos os Jogos Abertos que disputou de 1949 a 1956, foi tetracampeão brasileiro de velocidade (1952, 1954, 1955 e 1958) e tricampeão Sul-Americano do quilômetro contra o relógio e velocidade (1954, 1956 e 1959). Nas Olimpíadas de Melbourne, em 1956, foi o 7ª colocado na prova de velocidade.

Além do melhor resultado do ciclismo brasileiro em Jogos Pan-Americanos, Argenton também foi o que melhor representou o país na história das Olimpíadas. Ele terminou na quinta colocação na prova de velocidade individual e foi o sétimo na disputa do quilômetro contra o relógio, ambas nos Jogos de Roma, em 1960. No fina da carreira, o ciclista faturou ainda a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de São Paulo, em 1963.

Em 2001, Argenton recebeu uma homenagem do Comitê Olímpico Brasileiro, quando recebeu o prêmio "Brasil Olímpico", dado aos maiores atletas brasileiros de todas as modalidades na história das Olimpíadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.