Tamanho do texto

Lateral da seleção de futebol chegou a ser liberada para voltar ao Brasil, mas preferiu permanecer com o grupo e brigar pelo ouro

A noite de domingo não foi boa para a lateral Maurine , da seleção brasileira. A lateral recebeu a notícia do falecimento do seu pai, Assis Brasil Dorneles Gonçalves, que, segundo a atleta, estava com uma infecção pulmonar e sofreu uma parada respiratória. Maurine foi liberada pela comissão técnica para retornar ao Brasil, mas recusou. Ela quer voltar com a medalha de ouro do Pan-Americano para para homenagear seu pai.

Leia também: A natação, a organização e as dúvidas

"Olá, pessoal. Para quem perguntou, vou ficar até o final do Pan. Vou levar essa medalha para o meu pai, pois ele sempre me pediu isso, vou honrar!", disse a lateral através de seu twitter. "Vamos ganhar esse ouro, meninas. Pelo meu pai", emendou.

O Comitê Olímpico Brasileiro ofereceu auxílio psicológico e uma passagem aérea, caso a atleta quisesse voltar para o Brasil nesta segunda-feira.

Confira o calendário do Pan-Americano

“Assim que soube desta triste notícia, me solidarizei com a Maurine e procurei deixa-la à vontade para fazer o que julgasse ser o mais conveniente. Entendi esse momento difícil, que sobrepõe ao futebol, e procurei apoiá-la, independente do que ela optasse. Ela decidiu permanecer conosco para seguir na luta por uma medalha e levar essa alegria aos seus familiares”, relata o técnico Kleiton Lima.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.