Tamanho do texto

Seleção brasileira consegue outra goleada no Pan (33 a 15 contra a Argentina) e leva o tetra na competição

Vipcomm
Seleção brasileira feminina de handebol posa com a medalha de ouro conquistada em Guadalajara
Não deu nem graça. Com uma superioridade impressionante, a seleção brasileira feminina de handebol confirmou o favoritismo e conquistou na madrugada desta segunda (pelo horário de Brasília) a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara , ao massacrar a Argentina na decisão por 33 a 15. O resultado confirmou a supremacia brasileira na competição, ao garantir o quarto título consecutivo, repetindo os feitos de Winnipeg 1999, Santo Domingo 2003 e Rio 2007. Além disso, o título classificou a seleção para as Olimpíadas de Londres , no ano que vem.

Leia também: A natação, a organização e as dúvidas

A participação da seleção brasileira foi impecável: 50 a 10 nos Estados Unidos, 43 a 15 no Uruguai e 32 a 18 na República Dominicana, na primeira fase. Depois, na semifinal, aplicou 43 a 12 no México. O técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubek, conseguiu levar o time ao ouro e também fazer uma boa preparação para o Mundial de handebol que acontecerá no Brasil, em dezembro.

Acompanhe o calendário completo dos Jogos Pan-Americanos

"É sempre uma emoção nova e especial. Agora temos que mostrar no Mundial, em São Paulo, o nível que mostramos aqui. Essa é nossa prioridade: vamos pensar primeiro no Mundial e depois na Olimpíada", disse a goleira Chana Masson, que participou de três das quatro conquistas brasileiras na história do Pan: Winnipeg, Rio de Janeiro e agora em  Guadalajara.

Confira o quadro de medalhas atualizado do Pan 2011

Alexandra, a artilheira da final, avaliou o desempenho do time: "Nosso jogo está encaixando; o ataque com a defesa. E final com a Argentina sempre tem um gostinho especial! Elas vêm para bater, jogam sujo. Mas nós mostramos que somos melhores". A goleira Chana concorda com a posição da companheira: "As argentinas provocam, falam o que não devem, gritam na cara... Mas mostramos que, aqui nas Américas, não tem para ninguém."

O time brasileiro entrou em quadra focado e com bastante garra para o jogo, mostrou isso logo de cara. A saída de bola foi da Argentina, que tentou atacar, mas as atletas brasileiras fizeram boa parede, recuperaram a bola e, no contra-ataque, não desperdiçaram a chance, abriram o placar logo aos 25 segundos.

Veja as imagens da conquista do Brasil:

Na metade da primeira etapa a vantagem brasileira era de seis pontos, 9 a 3. A seleção brasileira pouco errava nos fundamentos, errava mais nas finalizações ou parava ante a experiente goleira argentina Silvina Erica Schlesinger.

Para o segundo tempo o ritmo de jogo das brasileiras não mudou, e nem a garra. A diferença foi só aumentando e, no banco, as atletas comemoravam a conquista que era eminete. Em quadra, a atenção não diminuia e nem a vontade de fazer mais gols.

Um dos destaques do Brasil foi a goleira Chana , que defendeu quase todas as bolas que eram arremessadas ao gol. Quando não defendia, contava com a sorte e a bola batia na trave.

Medalha de bronze
Bateu na trave a medalha de bronze para as meninas do handebol mexicano. As anfitriãs travaram uma disputa acirrada pelo terceiro lugar, antes da final, mas a medalha ficou com a República Dominicana. O jogo todo seguiu com pequena diferença no placar, hora o México assumia, hora a as dominicanas assumiam.

Acompanhe tudo que acontece em Guadalajara no tempo real do iG Esporte

O primeiro tempo acabou 15 a 14 para a República Dominicana e o segundo 14 a 13 para o México. Com o placar igualado em 28 a 28, o jogo foi para a prorrogação, na qual as dominicanas foram mais eficientes e fecharam o tempo extra com 33 a 31.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.