Tamanho do texto

Após abrir 17 pontos de vantagem no terceiro quarto, seleção permite reação dos norte-americanos e sai de quadra derrotada

A seleção brasileira masculina de basquete esteve bem próxima de conquistar a sua segunda vitória nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara nesta quinta-feira. A equipe ficou a maior parte do confronto na liderança do placar e chegou a abrir 17 pontos de vantagem no terceiro quarto. Contudo, permitiu a reação dos norte-americanos, que emplacaram a virada no fim e ganharam a partida pelo placar de 88 a 77.

Confira o calendário dos Jogos Pan-Americanos

O resultado encerrou uma série invicta do basquete masculino brasileiro na competição que teve início em 1999. A última derrota foi na primeira fase dos Jogos de Winnipeg, exatamente diante dos norte-americanos.

Veja como está o quadro de medalhas do Pan

Os líderes do triunfo dos EUA foram os jogadores que saíram do banco. O armador Blake Ahearn foi o cestinha do jogo com 21 pontos. O também armador Justin Dentmon somou 16 pontos e seis assistências. Já o ala-pivô Lance Thomas teve oito pontos e 12 rebotes.

No Brasil, quem mais se destacou foi o armador Nezinho dos Santos , dono de 16 pontos e sete assistências. O ala-armador Vitor Benite anotou 15 pontos. O pivô Murilo Becker , por sua vez, registrou 12 pontos e sete rebotes.

Leia também: Argentina bate Porto Rico e vence a primeira no basquete masculino

Com uma vitória e uma derrota, o Brasil decide o seu futuro na competição nesta sexta-feira. O adversário será a República Dominicana, que possui campanha idêntica. Quem vencer, se classifica à semifinal ao lado dos norte-americanos.

O jogo
As duas equipes iniciaram a partida errando muitos arremessos e se revezaram algumas vezes na liderança do marcador. O Brasil chegou a abrir cinco pontos de vantagem, mas os norte-americanos reagiram de maneira imediata e conseguiram terminar o primeiro quarto um ponto à frente: 19 a 18.

Com ataque um pouco mais equilibrado, os brasileiros voltaram melhor para o segundo período e assumiram o controle do jogo. A bandeja de Benite no último segundo da primeira metade fez com que a equipe fosse para os vestiários com 38 a 32 de superioridade no marcador.

A evolução do Brasil no jogo teve sequência no retorno do intervalo. A defesa eficiente e as bolas de longe que começaram a cair permitiram que o time enfim disparasse. A equipe viveu seu melhor momento no confronto com pouco menos de cinco minutos restantes no terceiro quarto, quando abriu 17 pontos de vantagem (55 a 38) depois de uma cesta seguida de lance livre certeiro de Benite.

Mas foi exatamente quando as coisas pareciam definidas que os EUA deram início à uma reação que mudou o rumo do jogo. Contando com a pane do ataque brasileiro, os norte-americanos reduziram bastante o prejuízo e encerraram o terceiro período a apenas cinco pontos do empate: 61 a 56.

Leia também: Seleção feminina chega ao Brasil lamentando eliminação na semifinal

O Brasil perdeu o controle da situação de maneira definitiva quando permitiu que o rival anotasse 12 dos 14 primeiros pontos do último quarto. A corrida rendeu a liderança do marcador aos norte-americanos, que mantiveram-se à frente até o fim, sacramentaram a vitória e chegaram ao final da segunda rodada como a única seleção invicta da competição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.