Tamanho do texto

Em 2003 e 2007, modalidade ficou com a medalha de prata na competição masculina do Pan

Os Jogos Pan-Americanos de 2011 , que serão disputados em Guadalajara, terão um sabor especial para o polo aquático masculino do Brasil. Após bater na trave e ficar no quase duas vezes, em 2003 e 2007, a modalidade partirá rumo ao México focada no sonho dourado.

De olho na competição continental, os comandados do técnico Bárbaro Cervantes passaram por um período de treinamentos e pequenas competições, na Croácia. De acordo com Emílio Vieira, defesa da equipe, os atletas chegarão confiantes na América do Norte.

“Fizemos algumas partidas amistosas e isso fortaleceu, ainda mais, nosso elenco. Treinando longe, pudemos crescer como atletas e aprimorar a preparação física”, afirmou o jogador, em entrevista coletiva realizada no Clube Pinheiros, em São Paulo, que homenageou seus 72 atletas que defenderão o país no Pan.

Para conquistar a medalha de ouro, a seleção brasileira terá que quebrar uma hegemonia norte-americana, em Pan-Americanos que já dura 12 anos. Em Santo Domingo (2003) e Rio de Janeiro (2007), o lugar mais alto do pódio ficou com os Estados Unidos.

“Em esportes olímpicos, os norte-americanos sempre entram fortes, mas acredito que este ano Canadá e Cuba podem surpreender. Nossa equipe também vem forte, com essa renovação, após o último Pan”, analisou o jogador, que desembarcou pouco tempo antes, no aeroporto de Guarulhos, junto com a delegação, para a cerimônia no Pinheiros.

No masculino, o Brasil conquistou nove medalhas. A única dourada foi nos Jogos Pan-Americanos de São Paulo, em 1963. De lá para cá, foram mais oito medalhas (quatro de prata e quatro de bronze).

A delegação brasileira parte para Guadalajara no próximo dia 18, mas só fará sua estreia na competição no dia 23 de outubro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.