Tamanho do texto

Márcio Fortes ainda tem que passar por uma sabatina no Senado para confirmar sua nomeação para o cargo

Inicialmente indicado para o cargo de APO (Autoridade Pública Olímpica), o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, assumiu, no final da semana passada, a presidência do CPO (Conselho Público Olímpico), um órgão superior. Nesta terça-feira, a mandatária da República, Dilma Rousseff, se apressou e ensejou o nome de Márcio Fortes, ex-ministro das Cidades, para a APO.

Seguindo o protocolo, Fortes terá ainda de passar por uma sabatina no Senado para confirmar sua nomeação. A APO é o órgão responsável por coordenar as ações dos poderes públicos para os Jogos Olímpicos de 2016.

Satisfeito com a indicação, Márcio Fortes projetou o Brasil não só como país-sede, mas como um dos postulantes à melhor equipe no quadro de medalhas.

"Tem um negócio que ninguém fala. Eu quero ganhar as Olimpíadas. Claro que, como diz o espírito olímpico, é importante participar. Mas é muito melhor participar vencendo. O Brasil está se preparando para ganhar medalhas, é um projeto a longo prazo", afirmou em entrevista coletiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.