Galvão Bueno
Reprodução
Galvão Bueno

Após cerca de 14 meses afastado da televisão por conta da pandemia de Covid-19, o narrador Galvão Bueno retornou brilhantemente às transmissões da Globo e, mais uma vez, ficou responsável por comandar as Olimpíadas na emissora carioca.

E, assim como fez em toda carreira, ele não vem decepcionando na arte de emocionar o público. Na 23ª medalha do judô brasileiro na história dos Jogos Olímpicos, que veio na manhã deste domingo, com o gaúcho Daniel Cargnin , o narrador despejou toda o seu talento e emocionou o público ao publicar nas redes sociais os "bastidores" da transmissão.

Nas imagens é possível ver o comunicador narrar com o entusiasmo característico a vitória do brasileiro diante do israelense Baruch Shmailov.



O histórico narrador, considerado um dos maiores da história, está em sua nona edição de Jogos Olímpicos. Ele começou sua jornada olímpica em 1984, em Los Angeles. Depois narrou as edições de Seul (1988), Atlanta (1996), Sydney (2000), Atenas (2004), Pequim (2008), Londres (2012), Rio (2016), e agora  Tóquio.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários