Tamanho do texto

Não é fácil estabelecer um parâmetro para comparar as façanhas dos atletas paralímpicos, mas estas fotos demonstram que, para eles, nada é impossível

Para a maioria das pessoas, parecem feitos impossíveis. Mas não para eles.

Essa é a impressão ao ver do que são capazes alguns dos atletas que estão competindo nos Jogos Paralímpicos do Rio.

Primeiro herói paralímpico brasileiro fez treinos clandestinos para desviar de preconceito

A BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, compilou sete imagens impactantes que ressaltam a habilidade desses esportistas.

1. Mais alto que um Jeep Cherokee

O polonês Lukasz Mamczarz bateu seu recorde pessoal no salto alto categoria T42, que reúne atletas com funções em apenas uma perna.

Mas apesar de saltar 1,77 m - mais alto que um Jeep Cherokee -, o atleta paralímpico não obteve pódio, ficando em 4º lugar.

A medalha de ouro foi para o indiano Mariyappan Thangavelu, que superou o tarrafo a 1,89 m.

2. Linha de chegada

A triatleta espanhola Rakel Mateo Uriarte teve de percorrer mais de 8 km para completar o primeiro triatlo paralímpico.

A prova de natação, ciclismo e corrida durou 1 hora, 40 minutos e 33 segundos. Ela chegou em oitavo lugar, mas o que mais chamou atenção no seu desempenho foi a determinação de cruzar a linha de chegada com a perna esquerda paralisada.

3. Sincronia máxima

A bolinha nos pés, o olhar no rival e a raquete na boca.

Concentrado, o egípcio Ibrahim Hamadtou inicia assim sua impressionante rotina de coordenação para o saque durante partida de tênis de mesa paralímpico.

Como treinadora recrutou nas ruas equipe paralímpica de remo

Hamadtou perdeu suas duas partidas na primeira rodada, mas venceu 33 pontos nos Jogos Paralímpicos do Rio.

4. A 70 metros

O tiro com arco paralímpico conta com vários atletas capazes de lançar flechas a uma distância de mais de 70 metros - mesmo sem braços.

Por outro lado, a imagem do americano Jeff Fabry indica quanta pressão ele tem de aguentar com os dentes para criar a tensão necessária para soltar a flecha.

O recorde mundial é do seu compatriota Matt Stutzman, que conseguiu acertar o alvo a uma distância de mais de 283 metros.

5. Quatro piscinas

Campeão paralímpico de natação por sete vezes, o chinês Qing Xu precisa de ajuda na largada, mas depois mais parece um torpedo circulando pela água.

Xu começou a nadar aos sete anos de idade. Nos Jogos Paralímpicos da Rio 2016, já havia vencido três medalhas de ouro em provas de estilo livre e borboleta, mas os 200 metros medley acabaram exigindo demais.

Com prótese financiada por torcedores, neozelandês ganha ouro e bate recorde mundial na Rio 2016

Ele dominou os 50 primeiros metros com facilidade, mas não conseguiu manter o ritmo de seus rivais, ficando a um segundo do pódio.

6. Força incrível

Com a marca de 8,40 m, a nigeriana Lauritta Onye bateu o recorde mundial de arremesso do peso paralímpico e levou o ouro na Rio 2016.

Ela superou a marca da segunda colocada, a tunisiana Rime Abdelli, por mais de um metro. A bronze foi da holandesa Lara Baars.

7. Domínio absoluto

Refletindo a força do país no esporte de modalidade olímpica, a equipe britânica de ciclismo paralímpico foi a grande campeã dos Jogos no Rio.

Uma de suas estrelas foi o velocista Jody Cundy, que levou duas das oito medalhas conquistadas no velódromo carioca.

Cundy alcançou uma velocidade média próxima de 58 km/h nos 1000 metros contra o relógio individual.