Tamanho do texto

Fezes e urinas dos animais serão transformadas em adubo, que depois será usado pela prefeitura da cidade em locais públicos

O Rio 2016 pode ser considerado um evento sustentável. A proposta foi bastante reforçada pelo comitê organizador, com direito a uma mensagem clara na cerimônia de abertura, e as ações nesse sentido corroboraram a intenção. E isso inclui uma participação direta dos cavalos que competiram nas provas de hipismo e de pentatlo moderno dos Jogos Olímpicos.

Estrume dos cavalos do Rio 2016 serão usados em praças e parques da cidade
Divulgação
Estrume dos cavalos do Rio 2016 serão usados em praças e parques da cidade

Os animais que passaram pelo Complexo de Deodoro deixaram um legado importante para o Rio de Janeiro, já que os organizadores fizeram uma parceria com a prefeitura local para transformar o estrume dos cavalos em adubo - o projeto prevê que seja usado na jardinagem de praças e parques da cidade.

E mais:  Cavalo de britânica medalha de ouro nos Jogos curte férias na Inglaterra

Durante os Jogos Olímpicos e também os Paralímpicos, que também possui competição de hipismo, todos os resíduos formados pelas fezes e urina dos cavalos junto com a palha passam por um processo chamado compostagem.

O que é compostagem? É uma espécie de reciclagem do lixo orgânico onde micro-organismo, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, virando um adubo rico em nutrientes e propícios para serem usados em fertilidade de locais públicos.