Tamanho do texto

Esta é a segunda medalha de bronze na história dos Estados Unidos, que tem também três ouros nas suas dez participações em Olimpíadas

Estadão Conteúdo

Em mais um jogo de superação, os Estados Unidos venceram a disputa pelo bronze no vôlei masculino nos Jogos do Rio contra a Rússia por 3 sets a 2, com parciais de 23/25, 21/25, 25/19, 25/19, e 15/13, em partida realizada neste domingo no Maracanãzinho.

EUA venceram a Rússia e levaram bronze no vôlei masculino
Rio 2016/REPRODUÇÃO
EUA venceram a Rússia e levaram bronze no vôlei masculino

Com muitos erros nas primeiras parciais, os americanos venceram pela determinação da sua jovem equipe, que soube se reerguer e lutar pela medalha até o último ponto. A grande final do torneio masculino de vôlei, entre Brasil e Itália, acontece a partir das 13h15 deste domingo, também no Maracanãzinho.

Esta é a segunda medalha de bronze na história dos Estados Unidos, que tem também três ouros nas suas dez participações em Olimpíadas. Com a vitória na partida, os Estados Unidos coroam uma trajetória de recuperação no torneio. Após começar com duas derrotas consecutivas, contra a Itália e o Canadá, o time se reergueu após a partida contra o Brasil, sua melhor atuação até aqui. Depois de ter passado pela temida Polônia, nas quartas de final, a equipe caiu diante do saque italiano, que desarticulou o confronto pelas semifinais, na última sexta-feira.

Mesmo abalada com a derrota, a equipe voltou a quadra neste domingo valorizando a disputa pelo bronze, e foi buscar o resultado em mais uma inacreditável virada. Após perder os dois primeiros sets, a equipe reagiu, afinou a potência do saque e conseguiu burlar o paredão do bloqueio russo nas duas parciais seguintes, forçando o tie-break. A reação foi pavimentada pela variação dos ataques, com bolas colocadas ou de velocidade.

Na parcial decisiva, a equipe americana também esteve atrás do placar a maior parte do tempo, mas não desistiu e manteve o nível equilibrado do confronto até o último ponto. Controlando os erros, com maior eficiência no bloqueio e saque, os americanos viraram o placar no décimo ponto, encaixaram um ace para reafirmar a confiança do grupo e confirmaram a virada sobre uma Rússia visivelmente desinteressada pelo bronze.