Tamanho do texto

O brasileiro ainda quer buscar uma medalha na prova C2 1.000, ao lado de Erlon Souza; a dupla foi campeã mundial em 2015

Isaquias Queiroz levou o bronze no C1 200m
Rio 2016/REPRODUÇÃO
Isaquias Queiroz levou o bronze no C1 200m

Estadão Conteúdo

Isaquias Queiroz já é o atleta brasileiro mais vitorioso dos Jogos do Rio. Com o bronze conquistado nessa quinta-feira no C1 200 metros, ele soma duas medalhas - na terça-feira o canoísta havia faturado a prata nos 1.000 metros. Mas o baiano de 22 anos quer mais: na sexta-feira ele disputa mais uma prova em busca de vaga na final de sábado nos 1.000 metros em dupla com Erlon de Souza.

Rio 2016: Acompanhe os Jogos Olímpicos em tempo real

"A canoagem nunca tinha conquistado uma medalha. Quero fazer história", disse Isaquias, após conquistar o bronze nesta quinta-feira, na prova realizada na Lagoa Rodrigo de Freitas.

O brasileiro fez o melhor tempo das semifinais e era considerado favorito ao ouro no C1 200 metros. Ele, no entanto, teve um início ruim de prova, e teve de tirar a vantagem dos adversários nos metros finais. Por isso, comemorou muito o bronze, ainda mais que a sua sensação inicial foi de que não tinha conquistado um lugar no pódio.

Fique por dentro: Quadro de medalhas do Rio 2016

"Achei que tinha perdido e ficado fora do pódio. Estava com raiva porque achei que tinha ficado em quinto ou sexto lugar. Uma medalha olímpica não é para qualquer um", disse o canoísta brasileiro.

Isaquias admitiu que o nervosismo o atrapalhou no início da prova. "Fiquei um pouco nervoso na saída porque eu não podia estar, mas acabei errando. Errei a remada e o barco deu uma patinada. Por isso, acabei perdendo o ouro", explicou.

Na hora de receber a medalha de bronze, o baiano quebrou o protocolo e sambou em cima do pódio. "Eu estava eufórico", explicou o agora dono de duas medalhas olímpicas.