Tamanho do texto

Nadadora entrou na água com um saquinho de alimentação, mas era na virada dos 5km, na metade da prova, que ela deveria ingerir os nutrientes fundamentais para completar os 10km entre as primeiras

Estadão Conteúdo

Ana Marcela Cunha chegou aos Jogos Olímpicos do Rio como uma das grandes promessas de medalha do esporte brasileiro e saiu da praia de Copacabana, nesta segunda-feira, frustrada pelo 10º lugar na prova de maratona aquática, disputada pela primeira vez no mar em uma Olimpíada, justo no seu cenário preferido. 

E mais
"Não foi digno de uma tricampeã mundial", desabafa Ana Marcela após 10º lugar

Para o técnico Márcio Latuf, que trabalha com ela na Unisanta, em Santos, desde o fim do ano passado, a falta de alimentação no meio da prova pode ter causado o resultado muito abaixo do esperado para quem há muito tempo não fazia uma prova tão ruim. Durante dois anos, foram 18 pódios internacionais seguidos.

Ana Marcela Cunha foi mal na maratona aquática
Rio 2016/REPRODUÇÃO
Ana Marcela Cunha foi mal na maratona aquática

"Eu não consegui falar com ela ainda, mas o que dá para entender é que na primeira volta ela se alimentou muito bem. Na segunda, como tava muito alta a balsa, a gente estava colocando a vara de alimentação meio enviesada. Ela veio num bolo de atletas, não sei de onde que foi, uma atleta mudou de direção ebateu a mão na vara. Ela perdeu essa alimentação", conta Latuf, responsável por alimentar Ana Marcela.

A nadadora entrou na água com um saquinho de alimentação, mas era na virada dos 5km, na metade da prova, que ela deveria ingerir os nutrientes fundamentais para completar os 10km entre as primeiras. "A segunda alimentação era meio estratégica, tem algumas coisas que a nutricionista coloca de preparação. Na minha opinião, foi isso daí", opina Latuf.

Acostumada a sempre nadar no bolo das primeiras colocadas, Ana Marcela dessa vez completou muito atrás. Foi a 11.ª a chegar, a 56 segundos da primeira colocada. Ela depois ganhou uma posição pela desclassificação da francesa Aurelie Muller, que subiu no dorso da rival italiana Rachele Bruni para bater em segundo e acabou punida.