Tamanho do texto

Enquanto alguns atletas fazem história com seus resultados, outros ganham seus 15 segundos de fama por razões alheias ao esporte

Phelps é um dos astros do Rio 2016
Reprodução Twitter
Phelps é um dos astros do Rio 2016

A Olimpíada dos atletas "imortais" e os quinze segundos de fama para outros "comuns" que ganharam notoriedade por outras razões. É como a imprensa estrangeira vê os Jogos da Rio 2016 nesta sexta-feira.

Entre os "semideuses", Phelps é o destaque absoluto dos jornais e portais, tendo sido o primeiro atleta a levar ouro na mesma prova - os 200 metros medley - em quatro Olimpíadas consecutivas. O americano pode agora repetir o mesmo feito quando cair na piscina nas finais dos 100 m borboleta.

O recorde de dois milênios que foi quebrado por Michael Phelps

Na quinta-feira, o "tubarão de Baltimore" venceu sua 13ª medalha de ouro individual - um recorde na história das Olimpíadas desde a Antiguidade - e 22ª se forem contadas também as medalhas de ouro em revezamento.

O britânico The Guardian se pergunta por que Phelps ainda é fantástico em uma idade quando a maioria dos nadadores já passou do seu melhor. "É a única pessoa a ganhar ouro na natação individual depois dos 31 anos", diz o jornal. "Persistência, dinheiro e um talento assustador ajudaram."

Simone Biles, a primeira

Simone Biles é estrela da ginástica
Rio 2016
Simone Biles é estrela da ginástica

Outro destaque da imprensa internacional é a americana Simone Biles, que encantou os espectadores vencendo o ouro na ginástica artística.

Aos 19 anos, a americana conquistou dez títulos mundiais desde 2013 e vem sendo considerada uma das maiores ginastas de todos os tempos.

Diversos veículos destacaram sua atitude de rejeitar comparações - ainda que bem-intencionadas - com atletas masculinos: "Não sou o próximo Usain Bolt ou Michael Phelps, sou a primeira Simone Biles", disse. "Para mim, sou simplesmente a mesma Simone."

Jogos no Rio são os 'mais difíceis da história', diz vice-presidente do COI

"(Simone diz que) vai deixar sua marca, da sua própria forma", escreve o jornal USA Today. Com seu exemplo de autodeterminação, ela se junta a outras "imortais" femininas, como a tenista Serena Williams e a brasileira Marta, que também rejeitam comparações com seus pares masculinos.

Nadador roliço

Mas nem todas as histórias estão nos pódios, como mostram diversas outras reportagens da imprensa internacional. O português Público destaca como o etíope "Robel, a baleia", conquistou fãs no Rio de Janeiro mas não agradou os seus compatriotas.

Robel Kiros Habte chamou atenção pela barriguinha
Divulgação
Robel Kiros Habte chamou atenção pela barriguinha

"Convidado para participar nos Jogos de 2016 graças às cotas criadas pelo Comité Olímpico Internacional (COI) para estimular a prática da modalidade nos países periféricos, Habte foi o porta-estandarte da delegação olímpica da Etiópia", diz a reportagem.

"Mas chegou ao dia da prova visivelmente fora de forma."

A matéria destaca que ele é acusado no seu país de favorecimento, por ser o filho do presidente da federação etíope de natação.

"[Robel] É o símbolo do racismo, favoritismo e incompetência contra a qual estamos a lutar", tuitou a usuária Lina Judge, moradora de Addis Abeba.

Minha urina, sua urina

John Anzrah é destaque negativo
BBC
John Anzrah é destaque negativo

Na BBC, o destaque é a história de um treinador de atletismo do Quênia expulso dos Jogos após fazer um teste anti-doping - fazendo-se passar por um atleta da delegação queniana.

John Anzrah, 61 anos de idade e treinador de velocistas, chegou a assinar documentos como se fosse o meio-fundista Ferguson Rotich, esperança de medalha nos 800 metros.

Um porta-voz do atleta disse que Rotich tinha apenas emprestado seu crachá a Anzrah para que o treinador pudesse tomar café gratuitamente na Vila Olímpica. O treinador foi abordado por um agente antidopagem que estava procurando Rotich - que compete em baterias já nesta sexta-feira -, mas nunca revelou sua identidade.

Carcereiros, cortadores de cana e carregadores de mala dão a Fiji sua 1ª medalha olímpica na história

"Ferguson não faz a menor ideia de que o levou a fazer isso, mas a boa notícia é que logo em seguida ele ficou sabendo, e fez os testes de sangue e urina."

Gravidez surpresa

Diana Reyes e sua gravidez surpresa
Divulgação
Diana Reyes e sua gravidez surpresa

Alguns jornais destacam a história da jogadora de vôlei porto-riquenha Diana Reyes, que escondeu sua gravidez de cinco meses para poder participar dos Jogos Olímpicos. "Preparações olímpicas não ficam mais dramáticas que isso", diz o site neozelandês Stuff.

Diana só descobriu que estava grávida após um acidente de carro dois dias antes de pegar o avião para o Rio. Apesar disso, esperou até o momento final para contar à sua equipe que estava esperando a criança.

A gravidez não é em si só uma razão para que uma atleta não participe dos Jogos Olímpicos. Mas a decisão é curiosa inclusive no momento em que vários atletas decidiram não participar do evento no Rio por temores com o vírus Zika.

O treinador da equipe, Juan Carlos Nuñez, disse que o time ficou "feliz" com a notícia. A jogadora, que é reserva na equipe, não entrou nas primeiras partidas disputadas por Porto Rico.

Medalha 'inesperada'

E continuam viralizando os memes com a nadadora Fu Yuanhui, que só se deu conta de que ganhara uma medalha de bronze nos 100 m costas dando uma entrevista ao vivo para a TV chinesa, após a prova.

Fu Yuanhui se deu bem na natação
Site oficial
Fu Yuanhui se deu bem na natação

Sua reação, que muitos acharam "bonitinha", a transformou em celebridade online. Seus seguidores na rede social Sine Weibe passaram de 100 mil para 4 milhões em apenas dois dias - e o número segue aumentando.

Os atletas chineses normalmente seguem um padrão de entrevistas, agradecendo o país e prometendo dar o melhor de si na próxima competição.

Mas Fu quebrou a tradição, expressando sua felicidade demonstrando bom humor e alegria em suas expressões faciais.

"Fu representa o espírito olímpico de desafiar a si mesmo e curtir a competição", disse Joanna Zhan, da cidade de Chongqing.

Gaochao Zhang, um jornalista esportivo em Londres, disse que enquanto os dirigentes chineses estão preocupados com o total de medalhas, o público chinês "está apenas curtindo os Jogos, sem necessariamente esperar ouro".

Para ele, a satisfação de Fu se encaixa perfeitamente nesse espírito.