Tamanho do texto

Guerdat é veterano de três Jogos Olímpicos e chega aos Jogos do Rio 2016 com o cavalo de 15 anos de idade

Se campeão no Rio de Janeiro, o suíço Steve Guerdat será o primeiro atleta de Salto a conquistar medalhas de ouro individual consecutivas em Olimpíadas. Desde que o belga Aime Haegeman, juntamente com Benton II, levou a vitória em Paris, França, em 1900, nenhum outro cavaleiro teve êxito em repetir essa proeza novamente. E a conquista de Guerdat seria a mais notável pelo fato de ele ter como parceiro o cavalo que o levou à glória no Greenwich Park, em Londres, quatro anos atrás, o enigmático Nino des Buissonnets.

Judô:  Rafael Silva vence uzbeque Abdullo Tangriev e leva o bronze

O ouro individual em Salto de Guerdat foi o primeiro pela Suíça em 88 anos, o anterior havia sido conquistado por Lt. Alphonse Gemeseus e Lucette em Paris, em 1924. Foi um momento emocionante para o cavaleiro que tinha 30 anos de idade na época, que foi derrotado dignamente nas provas finais da Copa do Mundo da FEI em Salto três meses antes.

“Mas esse foi um passo importante para a conquista da medalha”, disse ele após sua vitória em Londres 2012. "Ele (Nino des Buissonnets) teve um grande intervalo de descanso após a Copa do Mundo e participou de somente quatro competições antes de chegar aqui. Eu queria mantê-lo novo e confiante. Eu sei que eu tenho um cavalo singular comigo e sabia que, se desse um tempo a ele, seria mais fácil quando viesse para cá (para Londres)”. 

Bem planejado

Com 34 anos, Guerdat é veterano de três Jogos Olímpicos quando chega ao Rio com o cavalo de 15 anos de idade, que já está preparado para o grande evento mais uma vez. Sua última grande vitória juntos foi no Grand Prix em Genebra (Suíça), em dezembro, com o bravo e peculiar cavalo mantido em sigilo até surgir na Copa Furusiyya das Nações de Salto da FEI, em junho, em Roterdam (Países baixos), onde a equipe suíça terminou em segundo lugar.

O suíço Steve Guerdat e Nino des Buissonnets irão em busca de um recorde duplo consecutivo de medalhas olímpicas de ouro individual em Salto na Rio 2016
FEI/Kit Houghton
O suíço Steve Guerdat e Nino des Buissonnets irão em busca de um recorde duplo consecutivo de medalhas olímpicas de ouro individual em Salto na Rio 2016

E Guerdat está no caminho certo, tendo assegurado o renomado título Longines FEI World Cup™ pela segunda vez em dois anos na final de Gothenburg, Suécia, em março. No entanto, ele vai encarar concorrentes formidáveis quando cavalgar na arena de Deodoro na primeira prova olímpica de Salto, em 14 de agosto. E a grande ameaça ao seu duplo ouro virá do americano McLain Ward.

Doping:  Kleber Ramos, do ciclismo de estrada, é 1º caso de doping brasileiro no Rio 2016

Pergunte a qualquer um dos melhores cavaleiros e seu nome é mencionado a todo momento. O cavaleiro de 40 anos, de Brewster, Nova Iorque, é também tricampeão olímpico, levando o duplo ouro em Atenas, 2004, e Beijing, 2008. Cavalgando com suprema confiança e com uma fabulosa sequência de cavalos, ele se compara a um trem que não para, com vitórias tanto nos EUA quanto na Europa esse ano. E, em sua égua de 10 anos de idade, Azur, ele conta com confiança e parceria na medida em que parte para sua glória olímpica. 

Excelência 

Outro cavaleiro que desperta atenção é o sueco Peder Fredricson, com seu cavalo de 10 anos de idade, All In, participante do Grand Prix em Roma, Itália, em maio. Qualquer um que viu esse cavalo em ação sabe da facilidade com a qual ele salta os grandes obstáculos. E isso provavelmente contribuiu para que os suecos possam vir com toda a força na prova de Salto por equipe. Malin Baryard-Johnsson tem uma nova parceria fantástica em Cue Channa e com Rolf-Goran Bengtsson (Unita) e Henrik von Eckermann (Yajamila), que juntos prometem causar um grande impacto.

Obviamente os holandeses esperam traçar o caminho que fizeram com que se tornasses campeões mundiais em 2014 e campeões europeus no verão passado. Ganhar o ouro olímpico seria uma grande conquista, tanto para Harrie Smolders, Maikel van der Vleuten, Jur Vrieling quanto para o cavaleiro que também conseguiu o ouro individual em ambas ocasiões: o medalhista do ouro individual de Sydney 2000, Jeroen Dubbeldam. 

Atuais campeões

Os atuais campeões por equipe da Grã-Bretanha enviaram dois de seu time de Londres 2012: Nick Skelton e Ben Maher. A faixa etária da maior parte da equipe britânica está no topo da escala. Skelton, com 58 anos de idade, brincou recentemente que alguns deles terão que ser “carregados” para o Rio. Mas, ninguém vai subestimar a “ameaça” que representam. Skelton cuidou de seu parceiro de Londres 2012, Big Star, que voltou a sua boa forma antes dos Jogos e ambos têm tido uma performance impressionante.

Enquanto isso, apesar de já fazer 32 anos desde que os legendários irmãos Whitaker, Michael (56) e John (60), levaram a prata por equipe nas Olimpíadas em Los Angeles (EUA), eles ainda estão no topo de sua performance. No entanto, houve um incidente no período de treinamento dos campeões, já que Michael Whitaker quebrou a costela após uma queda em casa enquanto treinava um cavalo poucos dias atrás. É comum no esporte que os planos virem de cabeça para baixo por incidentes inesperados, mas o jovem Whitaker afirma que estará pronto para ação com Cassionato, quando o momento chegar.

A competição por equipe parece que será acirrada entre 10 poderosos países e os anfitriões brasileiros estão animados para ver isso, pois um do seu quarteto, Stephan de Freitas Barcha, tem mostrado resultados expressivos com seu cavalo de 13 anos de idade, Landpeter de Feroleto, nos últimos meses.

Futebol:  Neymar é liberado apenas para parte do treinamento da seleção olímpica

Com 75 dos melhores cavalos e cavaleiros do mundo disputando o título individual, as bandeiras de 27 nações à mostra e 15 países batalhando pela honra de suas equipes, as competições de Salto no Rio prometem ser clássicas.

O que é Salto?

Salto é uma modalidade do hipismo na qual os conjuntos cavalo-cavaleiro saltam obstáculos de barras na arena, com penalidades por derrubadas, refugos, queda de cavalo e cavaleiro e por ultrapassar o tempo limite. Há uma variedade de competições incluindo eventos de corrida, e alguns são encerrados com um “jump off” (prorrogação) para os conjuntos que não foram penalizados em rodadas anteriores. O “jump off” pode ser comparado à prorrogação no futebol, tendo, neste caso, um resultado imprevisível. 

Como funciona

Após a inspeção de cavalos no dia 12 de agosto, a primeira competição inicia em 14 de agosto com uma rodada de Salto, e não cronometrada. A ordem de início é definida por um sorteio computadorizado. A segunda competição acontece em dois dias (16 e 17 de agosto) – uma rodada qualificatória e uma final – em percursos diferentes, com o primeiro dia aberto a todos e o segundo somente às oito melhores equipes.

Se as pontuações forem iguais, as equipes terão que saltar em um percurso menor cronometrado e, se ainda houver empate, o tempo dos três melhores atletas por equipe são somados para a definição da equipe vencedora. Também há a possibilidade de “jump off” pela medalha de bronze e essa se realiza antes do “jump off” pelo ouro.

Os cavalos que estiverem na disputa pelas medalhas individuais passam por outra inspeção em 18 de agosto, antes da final individual no dia seguinte. A final individual é aberta aos 35 melhores conjuntos após os três primeiros dias de competição. Todos os participantes começam com penalidade zero. Os 20 melhores dessa rodada partem para a rodada final em busca das medalhas individuais, com o conjunto com menor pontuação sendo o vencedor.

Se houver mais de uma rodada com empate, as medalhas são definidas por um “jump off” contra o relógio. Se as penalidades em Salto forem as mesmas durante um percurso mais curto, então o conjunto com o tempo mais rápido ganha.