Tamanho do texto

Brasileiras começaram muito bem os Jogos do Rio com duas vitórias, mas o foco está no próximo confronto, diante das espanholas, pela terceira rodada

Central Ana Paula tem sido destaque da seleção feminina de handebol nos Jogos Olímpicos
Divulgação/William Lucas/Photo&Grafia
Central Ana Paula tem sido destaque da seleção feminina de handebol nos Jogos Olímpicos

Após duas vitórias contra equipes muito difíceis, Noruega e Romênia, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a seleção feminina de handebol já treina para a terceira partida, diante da Espanha, marcada para esta quarta-feira, às 9h30, na Arena do Futuro. Uma vitória praticamente garante a vaga nas quartas de final e, por isso, as guerreiras não pensam em comemorar e focam nos treinos.

LEIA MAIS:  Robson Conceição vence na estreia e avança às quartas de final do boxe

As espanholas têm ficado entre as principais adversárias do Brasil nos últimos anos e conquistou diversos resultados importantes. Nos últimos Jogos Olímpicos , em Londres 2012, elas ficaram em terceiro e levaram o bronze. Nesta edição, venceram Montenegro na estreia, por 25 a 19, mas perderam para a Noruega na segunda rodada, por 27 a 24, justamente a seleção que perdeu para as brasileiras na primeira rodada.

LEIA MAIS:  Evandro e Pedro Solberg se complicam, mas prometem reação após 2ª derrota

Na liderança do Grupo A está o Brasil, com quatro pontos e 16 de saldo, na segunda colocação aparece a seleção da Angola, que surpreendentemente venceu as duas primeiras partidas, tem quatro pontos, mas seis gols de saldo. Quem aparece em terceiro é justamente as próximas adversárias, com dois pontos.

FALA PROFESSOR

O técnico da seleção brasileira, Morten Soubak, confia na força tática de seu grupo, entretanto, afirma que a capacidade mental e a alegria com que as mulheres estão jogando em casa pode fazer a diferença. "Estamos com um bom espírito na quadra. Estamos todos satisfeitos com esse espírito e isso traz uma coisa muito boa para a equipe. Além disso, o público significa muito para as jogadoras. Até agora conseguimos usar isso de uma forma positiva para vencer os jogos que tivemos e espero que sigamos assim", afirmou.

BOA DEFESA

A defesa bem composta também tem feito a diferença nas partidas até aqui. Fora a barreira na linha, as arqueiras chamam a torcida brasileira a cada defesa. Mayssa já defendeu uma cobrança de sete metros e tem aproveitamento de 35%, já Babi, tem 31%. A artilheira do Brasil é a central Ana Paula, que fez 12 gols na primeira partida e oito na segunda.

LEIA MAIS:  Duplas brasileiras são eliminadas na repescagem do remo olímpico

E o treinador elogia muito quando fala sobre a central, principal armadora do time. "Ela é uma jogadora muito importante para nós. Fez um outro bom jogo contra a Romênia e foi bastante importante, especialmente no ataque. Espero que ela continue jogando assim por muito tempo. Estamos ainda no início desse campeonato. Ainda temos três jogos pela fase de grupos. Nada aconteceu ainda, mas espero que sigamos jogando dessa forma como fizemos até agora", completou Soubak.

A disputa do handebol feminino nos Jogos Olímpicos Rio 2016 vai até o dia 20, quando acontecerão as provas valendo o bronze e o ouro.

Confira a tabela e os resultados do Grupo A

Sábado (6)
Brasil 31 x 28 Noruega
Montenegro 19 x 25 Espanha
Romênia 19 x 23 Angola

Segunda-feira (8)
Espanha 24 x 27 Noruega
Brasil 26 x 13 Romênia
Angola 27 x 25 Montenegro

Quarta-feira (10)
9h30 - Brasil x Espanha
11h30 - Romênia x Montenegro
16h40 - Noruega x Angola

Sexta-feira (12)
9h30 - Brasil x Angola
14h40 - Romênia x Espanha
16h40 - Montenegro x Noruega

Domingo (14)
9h30 - Brasil x Montenegro
16h40 - Noruega x Romênia
19h50 - Espanha x Angola