Tamanho do texto

Na estreia, diante da China, os norte-americanos não tomaram conhecimento do adversário e venceram por uma diferença de 57 pontos

Kevin Durant foi o principal nome da estreia dos Estados Unidos
Dilvulgação
Kevin Durant foi o principal nome da estreia dos Estados Unidos

Os Estados Unidos voltam à quadra da Arena Carioca nesta segunda-feira, às 19 horas, com expectativa de nova vitória tranquila e grande exibição para a torcida contra a Venezuela, pelos Jogos do Rio. As estrelas da NBA conquistam o resultado positivo na estreia contra a China sem precisar se esforçar e prometem estarem ainda melhores para enfrentar pelo segundo compromisso um adversário que vem de derrota.

Tempo real:  Acompanhe tudo o que rola nos Jogos Olímpicos Rio 2016

"Podemos ser melhores do que jogamos. Isso realmente me deixa assustado", afirmou a ala Carmelo Anthony. "O que fizemos contra a China foi mandar para o resto do mundo uma mensagem do que podemos fazer", comentou o experiente jogador do New York Knicks, que disputa pela quarta vez uma edição da Olimpíada.

2º caso no Rio 2016:  Atleta que foi porta-bandeira na abertura é preso no Rio acusado de estupro

O placar de 119 a 62 na estreia foi construído no último sábado com facilidade. O time americano cativou a torcida pelas enterradas, jogadas bonitas e um poderio completo. Anthony acabou poupado no segundo tempo, ao ficar sentado no banco de reservas com bolsas de gelo no joelhos. O ala deve começar como titular contra a Venezuela, que vem de derrota para a Sérvia por 86 a 62.

Veja também:  Rio 2016 abre leilão com itens que serão usados nos Jogos Olimpícos

A apresentação americana no sábado teve a presença no ginásio de vários fãs dos astros da NBA. Os americanos minimizaram a idolatria, ao relembrar que estão no Brasil para confirmarem o favoritismo e serem campeões. O elenco de 12 jogadores garantiu estar determinada para fechar com título a passagem de 11 anos do técnico Mike Krzyzewski pela seleção.

O treinador afirmou que confia no grupo por notar que os jogadores deixaram de lado as rivalidades da NBA para se unir. "Está se tornando o grupo mais coeso que nós já tivemos. Eles estão realmente muito próximos. Apenas espero que eles continuem saudáveis e melhorando. O torneio olímpico dura só duas semanas. Gosto de ver que a equipe não joga pelo placar, mas somente por querer jogar", afirmou o "Coach K".