Tamanho do texto

Phelps conquistou ouro logo na primeira prova que disputou, o 4x100 livre; mesmo sem pódio, brasileiros aprovam desempenho

Estadão Conteúdo

Os nadadores estão fazendo a festa na piscina no Estádio Aquático Olímpico. Neste domingo, mais recordes foram quebrados. Adam Peaty, nos 100 metros peito, diminuiu ainda mais sua marca de 57s55 e cravou 57s13. Na mesma final da prova, João Gomes Júnior ficou em quinto e Felipe França em sétimo lugar.

João Gomes melhorou seu tempo, em comparação à eliminatória, mas não passou da quinta posição, com 59s31. França, que já foi campeão mundial da distância em piscina curta, foi mais lento que na semifinal ao anotar 59s38 na única prova individual que disputa nesta Olimpíada, assim como seu compatriota.

Tênis:  Tricampeãs olímpicas, irmãs Williams sofrem derrota inédita no Rio 2016

A estrela da prova foi mesmo Adam Peaty, cravando novo recorde mundial. Nas eliminatórias, no sábado, ele registrou 57s55, quebrando sua própria marca que era de 57s92. Na final, foi além ao obter 57s13.

Quem também vibrou muito nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foi a sueca Sarah Sjostrom, que foi campeã olímpica e ainda bateu o recorde mundial nos 100 metros borboleta com a marca de 55s48 - a anterior era 55s64. Ela fez uma prova impecável, sem dar chance para suas adversárias.

Phelps conquistou ouro na primeira prova dos Jogos do Rio 2016
Reprodução/Twitter
Phelps conquistou ouro na primeira prova dos Jogos do Rio 2016

Nos 200 metros livre, o chinês Sun Yang foi para a final com o melhor tempo, mas sabe que na decisão terá trabalho diante de fortes competidores, como o japonês Kosuke Hagino, o norte-americano Conor Dwyer, o alemão Paul Biedermann e o sul-africano Chad Le Clos.

Já nos 100 metros peito, a norte-americana Lilly King avançou com o melhor tempo, seguida pela russa Yulia Efimova, que só teve sua participação nos Jogos do Rio confirmada na última quinta-feira, após autorização do Comitê Olímpico Internacional (COI). Ela tinha sido proibida de competir no Rio devido a uma suspensão de 16 meses, por ingestão de anabolizantes.

Futebol:  Portugal bate Honduras e se classifica; Calleri marca em vitória da Argentina

A pena já foi cumprida, mas a Federação Internacional de Natação (Fina) havia vetado sua participação nos Jogos devido ao escândalo de doping que envolveu a Rússia. Outro destaque da prova foi a jamaicana Alia Atkinson, que foi para a final com o quinto melhor tempo, mostrando que na terra dos velocistas de pista também existem ótimos nadadores.

Recordes e mais recordes

A norte-americana Katie Ledecky conquistou sua segunda medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, neste domingo. Foi seu primeiro ouro, nos 400 metros livre, com direito a recorde mundial com o tempo de 3min56s46, quase dois segundos abaixo da marca anterior. No primeiro dia de competição, ela já havia ajudado o revezamento 4x100 metros livre dos Estados Unidos a ficar com a prata.

Adam Peaty levou ouro nos 100m peito masculino
Reprodução/Twitter
Adam Peaty levou ouro nos 100m peito masculino

Ledecky é a grande sensação da natação mundial no momento e consegue impor uma enorme diferença sobre suas rivais. Quando ela entra na piscina, a disputa é para ver quem vai ficar na segunda posição. Nos 400 metros livre, ela fez uma diferença de quase cinco segundos em relação à segunda colocada, Jazz Carlin, da Grã-Bretanha (4min01s23) - o bronze ficou com a também americana Leah Smith, com 4min01s92.

Phelps

Americano entrou na piscina pela primeira vez na piscina na noite deste domingo. Ele se juntou a outros três americanos para a prova do 4x100 livre. A lenda olímpica foi o segundo a nadar e acabou sendo fundamental para a conquista do outro na prova - seu décimo na história dos Jogos. França levou a prata e Austrália ficou com o bronze. O Brasil também disputou a prova e terminou em quinto.

Brasil

Dois brasileiros tiveram a chance de ganhar a medalha nos 100 metros peito nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, neste domingo, e por pouco não subiram ao pódio. João Gomes Júnior e Felipe França ficaram na quinta e sétima posição, respectivamente, na prova que teve o ouro para o britânico Adam Peaty, que ainda por cima bateu novamente o recorde mundial na distância.

Para João, o resultado não pode ser considerado como derrota. "É muito gratificante. Saio dessa piscina com sensação de dever cumprido, pois lutei até o final. Saí com a faca nos dentes. Só tenho de agradecer. É minha primeira Olimpíada e termino com um quinto lugar", disse o atleta.

Ele chegou a ficar suspenso por doping e temeu não chegar em forma aos Jogos. "Só Deus sabe o que passei. Mas em nenhum momento deixei de pensar na medalha. Agora tenho de ver o vídeo para ver em que momento a medalha escapou e saio com a sensação de dever cumprido", contou.

Já Felipe França adotou uma estratégia diferente, pensando em se poupar para os últimos metros. "Passei um pouco fraco, atrás, e é bem difícil de buscar. Melhorei na volta, mas não deu. De qualquer forma saio satisfeito com o resultado, ainda mais por tudo que passei depois de Londres. Saí triste de lá, mas daqui saio totalmente realizado", afirmou.