Tamanho do texto

Atacante falou sobre o canto irônico da torcida após mais um tropeço nas Olimpíadas, pedindo a camisa 10 feminina no time de Micale

Estadão Conteúdo

O atacante Gabriel disse que ele também gostaria de contar com a jogadora Marta, craque da seleção brasileira feminina nos Jogos Olímpicos. Durante o jogo com o Iraque , no último domingo, os torcedores protestaram com ironia pedindo a entrada dela. As mulheres tem 100% de aproveitamento e já estão classificadas para as quartas de final do Rio-2016.

E mais
Contra o Iraque, Brasil empata de novo sem gols e vê disputa pelo ouro ameaçada

"Queria também a Marta. É uma grande jogadora", afirmou na saída do Estádio Mané Garrincha, depois do empate de 0 a 0 com a seleção do Iraque. "Se a gente viesse hoje [domingo] e ganhasse de cinco a zero, todo mundo era craque. Como a gente empatou, todo mundo já não é um bom jogador", acrescentou o atacante.

Gabigol passou em branco contra o Iraque
Mowa Press
Gabigol passou em branco contra o Iraque

O time comandado por Rogério Micale ainda não fez um único gol na Olimpíada. Trata-se do pior início da participação brasileira nos Jogos desde Munique-72. Para se classificar para a segunda fase, a seleção precisa vencer a Dinamarca, nesta quarta, em Salvador.

Luan, que entrou no lugar de Felipe Anderson, disse que a torcida ficou um pouco impaciente e atrapalhou alguns jogadores. "A hora que o primeiro gol sair vai sair os outros naturalmente. Vai tirar o peso. Foi um pouco de ansiedade", disse.

Para o goleiro Weverton, o torcedor tem direito de pedir quem quiser. "Realmente o futebol feminino tem ido muito bem. Elas estão fazendo a história delas, a gente tem que procurar fazer a nossa", afirmou.

    Leia tudo sobre: futebol