Tamanho do texto

Ainda que não seja favorito, o Brasil chega ao último dia das competições de hipismo CCE com chances reais de medalha

Mesmo sem favoritismo, o Brasil vai para o último dia das competições de hipismo CCE, sonhando com uma medalha olímpica no Rio 2016. Após as exibições no cross country, nesta segunda-feira, a equipe brasileira ocupa o sexto lugar. O time chegou a ficar em 10º, mas os árbitros voltaram atrás sobre a eliminação de Márcio Carvalho Jorge, o que colocou a equipe brasileira quatro posições acima. No individual, Carlos Parro ficou na sétima colocação.

Márcio Jorge teve bom desempenho no em percurso duríssimo de 45 obstáculos, mas os árbitros consideraram que ele passou por fora do limite de um deles, no qual, por muito pouco, não caiu do cavalo. Ele chegou a ser eliminado da competição, porém, após revisão do movimento, os juízes voltaram atrás.

Brasil chega com chance de medalha no último dia do Hipismo CCE
Reprodução/Twitter
Brasil chega com chance de medalha no último dia do Hipismo CCE

Principal nome do CCE no país, Ruy Fonseca não estava em um dia bom e, com 158 pontos perdidos, seu resultado foi descartado. Considerando também a pontuação do adestramento, entre sábado e domingo, o Brasil tem Marcio Appel com 121,6 pontos perdidos, Carlos Parro com 51,3 e Márcio Jorge com 70,0.

Assim, a equipe tem 242,9 pontos descartados. Está distante de Austrália (150,3), Nova Zelândia (154,8), França (161,0) e Alemanha (172,0), mas, destas quatro primeiras colocadas, só a França não teve um conjunto já eliminado e ainda pode fazer um descarte. No CCE, não são raros os animais que são barrados de competir nos saltos depois de um desgaste muito grande no cross country.

Saiba mais: Brasileiros enfrentam o próprio treinador na prova do CCE

Mark Todd, técnico dos brasileiros, compete nos Jogos do Rio
Reprodução Twitter
Mark Todd, técnico dos brasileiros, compete nos Jogos do Rio

Na disputa individual, Carlos Parro aparece no sétimo lugar. Com 51,3 pontos perdidos, ele está a 9,3 do terceiro colocado. À frente dele, em quarto, aparece o técnico da seleção brasileira, o neozelandês Mark Todd, bicampeão olímpico.

Na quarta-feira, a partir das 10h, os cavalos que passarem na inspeção veterinária saltam para a decisão do resultado por equipes. Depois, há ainda uma segunda série de saltos, que define os medalhistas no individual.