Tamanho do texto

Campeão mundial, o surfista torce para que a modalidade seja incluída no programa olímpico. Nesta terça, ele se encontrou com atletas brasileiros

Gabriel Medina visita Vila Olímpica e posa com atletas da delegação brasileira
Reprodução COB
Gabriel Medina visita Vila Olímpica e posa com atletas da delegação brasileira

Cotado para os Jogos de Tóquio-2020, o surfe ainda não faz parte do programa olímpico. Mas Gabriel Medina, primeiro brasileiro a ganhar um título mundial na modalidade, em 2014, já se adiantou. Ele aproveitou a tarde desta terça-feira para conhecer a Vila Olímpica, onde encontrou atletas da delegação do Brasil e foi tietado até por estrangeiros.

Leia mais: Wawrinka alega lesão e não irá disputar os Jogos do Rio 

Durante a visita às instalações no Rio, Medina tirou fotos com o ginasta Arthur Zanetti, medalha de ouro em Londres-2012, e recebeu pedido de autógrafo de um competidor da Espanha.

"Aqui é um lugar muito especial. Um atleta espanhol me reconheceu e pediu autógrafo. Achei maneiro, achei muito doido", contou.

Mais Rio 2016: Italiana é pega no doping às vésperas dos Jogos Olímpicos 

Mesmo sem saber se o surfe será incluído na próxima Olimpíada, o atleta faz planos e almeja seu lugar no pódio.

"Sonho com essa conquista olímpica de uma medalha em Tóquio, uma medalha pode mudar a vida de um atleta. Espero estar presente em Tóquio. Mas é uma honra estar aqui agora", disse Medina.

A decisão sobre a inclusão do surfe no programa olímpico sairá ainda este mês, na 129ª sessão do COI.

"Se o surfe conseguir mesmo entrar nas próximas Olimpíadas vai ser fantástico. Todo atleta brasileiro sonha poder representar o país algum dia nos Jogos Olímpicos, um evento gigantesco, capaz até mesmo de mudar a vida das pessoas", afirmou o surfista ao COB.

    Leia tudo sobre: surfe