Tamanho do texto

De acordo com a Agência Mundial Antidoping (WADA), laboratório brasileiro está proibido de conduzir novos testes de urina e sangue

Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem foi descredenciado
Divulgação
Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem foi descredenciado

Os organizadores dos Jogos Olímpicos do Rio têm um enorme problema para resolver a 42 dias da abertura da Olimpíada. Nesta sexta-feira, a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) anunciou o imediato descredenciamento do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), antigo Ladetec, que deveria ser responsável pela realização dos exames antidoping colhidos durante a Olimpíada.

Leia +  Atletas militares do Brasil mais que dobram de Londres 2012 para o Rio 2016

De acordo com a Wada, o LBCD foi descredenciado na última quarta-feira e proibido de conduzir novos testes de urina ou sangue diante do que a Wada qualifica como "erros procedimentais".

"Vamos tentar resolver os problemas identificados", declarou Olivier Niggli, diretor-geral. Enquanto isso, as amostras serão transportadas para outros laboratórios e ficarão sob a custódia da Wada. "Isso vai garantir que não tenhamos problemas nos processos de análise e que a integridade das amostras seja garantida", disse.

Leia +  Com 449 vagas confirmadas, Brasil deverá ter mais de 450 atletas no Rio

Um Comitê de Disciplina será criado e vai reavaliar o caso. Mas, segundo a Wada, a suspensão tem efeito "imediato" e pode durar até seis meses. De acordo com a agência, todas as federações nacionais e autoridades locais já foram notificadas.

Na semana passada, questionado pelo Estado sobre o laboratório no Rio, o presidente da Wada, Craig Reedie, havia declarado que o local era "um dos grandes legados dos Jogos". Ele foi reaberto em maio do ano passado, após dois anos fechado.

Se não houver uma solução até o dia 5 de agosto, na abertura dos Jogos, a Wada terá de transportar diariamente as amostras de sangue e urina dos atletas até Lausanne, na Suíça, para que sejam testadas. Uma operação similar ocorrer durante a Copa do Mundo de 2014, quando o laboratório também havia sido descredenciado .