Tamanho do texto

Kenenisa Bekele, que tem os recordes mundiais das provas dos 5.000 e 10.000 metros, criticou os critérios da federação nacional

Kenenisa Bekele durante a prova de rua de Manchester deste ano
Great Run / Dan Vernon / IAAF
Kenenisa Bekele durante a prova de rua de Manchester deste ano

Tricampeão olímpico e detentor dos recordes mundiais das provas dos 5.000 e dos 10.000 metros, Kenenisa Bekele afirmou que sua exclusão da equipe etíope da maratona para os Jogos do Rio é "injusta" e que os critérios de seleção adotados pela federação nacional de atletismo do seu país são "tendenciosos".

Leia

Brasil conquista duas vagas para o ciclismo feminino de estrada no Rio-2016

Brasil se classifica para nadar os 6 revezamentos no Rio-2016

Em entrevista à agência de notícias The Associated Press, o corredor disse ter sido informado muito tarde de que ele deveria ter participado de ao menos duas grandes maratonas no ano passado para se tornar elegível para equipe etíope que virá à Olimpíada de 2016.

Depois de uma longa pausa de um ano motivada por uma lesão no tendão de Aquiles, Bekele retornou às competições em 2015 com a conquista de um terceiro lugar na Maratona de Londres, em abril, em sua única prova desta distância naquela temporada, embora ele tenha vencido uma corrida de 10 quilômetros realizada em Manchester, também na Inglaterra, no mês passado.

"Eu não posso ter a chance de competir na Olimpíada agora e não há nada que eu possa fazer sobre isso", afirmou Bekele, resignado com a sua situação, em entrevista concedida em seu escritório em Adis Abeba, na Etiópia. "Estou muito desapontado com o anúncio que Federação Etíope de Atletismo fez sobre a seleção dos atletas que competirão na maratona. O processo de seleção foi tendencioso e o seu resultado injusto", reclamou.

Considerado um dos maiores corredores de provas de longa distância em todos os tempos, o etíope foi medalhista de ouro nos 5.000 e nos 10.000 metros na Olimpíada de Pequim, em 2008, e antes disso subiu ao topo do pódio em Atenas-2004, nos 10.000m, sendo que ainda foi prata nos 5.000m nesta mesma edição dos Jogos na Grécia. Para completar, ele tem em seus currículo seis medalhas de ouro e uma de bronze em Mundiais de Atletismo.