Tamanho do texto

Flávia Oliveira é favorita a ficar com uma dessas vagas, a outra é disputada pelas irmãs Clemilda e Janildes Fernandes

Estadão Conteúdo

O Brasil terá apenas quatro representantes nas provas de ciclismo de estrada nos Jogos Olímpicos do Rio. Nesta quarta-feira, a União Ciclística Internacional (UCI) anunciou a divisão das 82 vagas em jogo no feminino e só duas, ambas na prova de resistência, ficaram com brasileiras. No masculino, o Brasil também só obteve duas.

Leia

Surfe, caratê, skate, escalada e beisebol devem entrar nos Jogos de Tóquio 2020

Brasil se classifica para nadar os 6 revezamentos no Rio-2016

As vagas foram distribuídas a partir do ranking olímpico divulgado na terça-feira. Quem acessa o ranking no site da UCI vê o Brasil apenas no 24º lugar, o que deveria lhe dar direito a apenas uma vaga. Uma segunda, entretanto, foi dada ao país da casa. Como não ficou entre os 15 primeiros do ranking, o Brasil não terá representantes no contrarrelógio - será assim também no masculino.

Flávia Oliveira (primeira à direita) é favorita para uma das vagas
Divulgação
Flávia Oliveira (primeira à direita) é favorita para uma das vagas

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) vai usar critérios técnicos para definir as convocadas. Mas, com Uênia e Márcia Fernandes suspensas por doping, a disputa fica restrita a poucas ciclistas.

Flávia Oliveira, 60ª do ranking mundial, é favorita a ficar com uma dessas vagas. Ela é do Rio e conhece bem o percurso que será utilizado na competição. Clemilda Fernandes, em 99º, é a segunda melhor brasileira no ranking e disputa uma vaga com a irmã Janildes Fernandes, a 153ª.

O Brasil deve ter a participação de dez ciclistas no Rio-2016: Henrique Avancini, Rubens Valeriano e Raiza Goulão no mountain bike e Gideoni Monteiro na prova de Omnium do ciclismo de pista, já estão convocados. Na estrada serão dois homens e duas mulheres. O ranking do BMX também já fechou e a distribuição de vagas acontecerá ainda nesta semana. Aí, Renato Rezende e Priscila Carnaval serão convocados.

No ciclismo de estrada, o Brasil vive queda de desempenho. A Londres, em 2012, o país levou três atletas no masculino e três no feminino. Agora, só conseguiu classificar quatro. Eram três ciclistas de estradas no Time Brasil em 2008 e quatro em 2004.