Tamanho do texto

Entre brasileiras e estrangeiras, em esportes individuais ou coletivos, veja quais são as favoritas para subir ao pódio nos Jogos

Sarah Menezes, primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos, tem tudo para fazer bonito no Rio
Reprodução/Facebook
Sarah Menezes, primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos, tem tudo para fazer bonito no Rio

2016 é um ano importante para o esporte mundial. Em agosto, no Rio de Janeiro, acontece a 31ª edição dos Jogos Olímpicos, que reunirá mais de 10 mil atletas de 206 países. Nos 17 dias de provas, 306 valerão medalhas, sendo 136 femininas, nove mistas e 161 masculinas. E neste mês da mulher, o iG Esporte faz uma lista com as mulheres favoritas para subir ao lugar mais alto do pódio em diversas modalidades.

Esportes individuais

Após conquistar o inédito ouro olímpico com apenas 22 anos, a judoca Sarah Menezes chegará ao Rio com mais experiência e como favorita ao bi na categoria peso leve, até 48 kg. Outra brasileira com grandes chances de medalha é Mayra Aguiar. Ela disputará sua terceira Olimpíada e tem na bagagem um bronze olímpico e um título mundial na categoria meio-pesado, até 78 kg. Sua maior rival é a norte-americana Kayla Harrison. Érika Miranda, peso meio-leve, até 52 kg, Rafaela Silva, peso leve, até 57 kg e Maria Suelen Altheman, peso pesado, 78 kg ou mais, são outras judocas brasileiras "medalháveis". Vale lembrar também das asiáticas, russas e norte-americanas.

Na natação, destaque para a brasileira Etiene Medeiros, de 24 anos, prata no mundial de 2015 nos 50 m costas, ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2015 nos 100 m costas, e também para a norte-americana Missy Franklin, detentora de quatro medalhas de ouro e uma de bronze nos Jogos de Londres. Ambas são favoritas e têm grandes chances de subir ao lugar mais alto do pódio.

Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto, da maratona aquática, são favoritas para fazer história no Brasil. Com 23 anos, a baiana Ana Marcela coleciona várias medalhas nas provas de 5, 10 e 25 km. Nesta última, ela é bicampeã mundial (2011 e 2015), já nos 10 km, ela possui uma prata e um bronze, assim como na prova de 5 km. Com 33 anos, a paulistana Poliana Okimoto tem melhor retrospecto em provas de 5 e 10 km. No campeonato mundial de 2013, ela conquistou o bronze na prova de 5 km por equipes, a prata na prova de 5 km individual e o ouro na prova de 10 km.

Já no atletismo, a grande chance do Brasil levar uma medalha é com Fabiana Murer, no salto com vara. A paulista de 35 anos não disputou em Pequim-2008 após perder a vara e em Londres-2012, por conta do vento ruim, mas, mesmo assim, a campeã mundial de 2011 está entre as favoritas. Suas principais adversárias serão a norte-americana Jennifer Suhr, campeã olímpica em Londres, a cubana Yarisley Silva, campeã mundial em 2015 e prata nas Olimpíadas de 2012, e a russa Yelena Isinbayeva, bicampeã olímpica (Atenas-2004 e Pequim-2008) e bronze em Londres-2012. Esta última, porém, ainda não tem sua participação confirmada, por conta do escândalo de doping que envolve o atletismo russo.

Em outra categoria do atletismo, Rosângela Santos, nas provas de velocidade, concorre por fora contra as jamaicanas e norte-americanas, amplas favoritas. No Pentatlo moderno, Yane Marques, medalhista de bronze em Londres-2012, espera repetir o feito e subir ao pódio em solo brasileiro.

No tênis, tanto no simples, quanto nas duplas, a norte-americana Serena Williams, número 1 do ranking da WTA (Associação Feminina de Tênis), é a favorita. No simples, ela buscará o segundo ouro olímpico, já nas duplas, ao lado da irmã mais velha Venus Williams, o objetivo é ser tetra campeã olímpica, já que venceu em Sydney-2000, Pequim-2008 e Londres-2012.   

Para tentar quebrar a hegemonia norte-americana na ginástica, a romena Larisa Iordache, de 19 anos, é uma das favoritas. Em Londres, ela ficou com o bronze na modalidade por equipes, e vem de duas pratas no Mundial de 2014, no solo e também no individual geral.


Esportes coletivos

No futebol, as brasileiras, lideradas por Formiga, que já participou de seis Copas, e Marta, melhor jogadora do mundo por cinco anos consecutivos, tentarão o inédito ouro. Além delas, as seleções dos Estados Unidos, campeã mundial em 2015 e tetracampeã olímpica, e Japão, campeã mundial em 2011 e vice em 2015, chegam ao Rio com grandes chances de conquistar a medalha dourada.

Já no vôlei de quadra, as norte-americanas chegam como favoritas para levar o primeiro ouro olímpico. Em 2015, elas conquistaram o ouro nos Jogos Pan-Americanos e no Grand Prix com a base do time que irá ao Rio. Vice-campeãs no Grand Prix, a seleção russa também está entre as favoritas, ao lado das meninas brasileiras. Atual bicampeã, a seleção liderada por José Roberto Guimarães, mesmo reformulada, tentará fazer bonito em solo brasileiro e conquistar o inédito tri em sequência.

Se por um lado no vôlei dentro das quadras o Brasil divide o favoritismo, na praia, o País conta com as duas melhores duplas do mundo. Larissa e Talita, atuais campeãs do Circuito, e Bárbara Seixas e Ágatha, campeãs mundiais em 2015, têm grande chance de fazer uma dobradinha brasileira, assim como em 1996, em Atlanta, com Jacqueline Silva/Sandra Pires e Adriana Samuel/Mônica Rodrigues, que conquistaram ouro e prata, respectivamente.

Já no handebol, a seleção brasileira chegará ao Rio como favorita ao ouro, pois além de ser o País sede, vem embalada pelo inédito título mundial de 2013. Mas a vida das brasileiras não será fácil. Espanha, vice-campeã europeia, e Noruega, campeã europeia e mundial em 2015 e atual bicampeã olímpica, são também favoritas ao ouro. Países Baixos, Romênia e Polônia também chegam com grandes chances de pódio.

Em outro esporte coletivo, o basquete, a seleção dos Estados Unidos é ampla favorita ao ouro olímpico. As campeãs mundiais de 2014 devem ter como principais adversárias a seleção da Sérvia, campeã do europeu de basquete, a Austrália e o Canadá. As meninas do Brasil correrão por fora.

Na vela, a dupla formada por Martine Grael, filha do bicampeão olímpico Torben Grael, e Kahena Kunze, campeãs mundiais da classe 49er, em 2014, são favoritas para subir ao pódio.

Com amplo favoritismo, a equipe de ginástica dos Estados Unidos tem tudo para faturar mais um título olímpico. Como de praxe, as principais adversárias serão as russas, chinesas e romenas.

Vale a pena ficar ligado na cobertura do iG dos Jogos Olímpicos do Rio e conferir de perto todas essas guerreiras que prometem fazer bonito na maior competição esportiva do mundo.