Tamanho do texto

Modalidade do país foi suspensa em novembro devido aos resultados de um relatório independente que apontou doping

Sebastian Coe, presidente da IAAF
Arquivo iG
Sebastian Coe, presidente da IAAF

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) manteve nesta sexta-feira a suspensão aplicada aos atletas russos da modalidade, aumentando as chances de eles ficarem de fora dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto. No entanto, o presidente da IAAF, Sebastian Coe, não descartou a anulação da punição antes da Olimpíada.

Leia mais

Brasil pegará Argentina na 1ª fase do torneio masculino de basquete do Rio-2016

Lutadora brasileira pode perder as Olimpíadas por fotografar rival nua

Coe afirmou nesta sexta que a suspensão "ainda não deve ser retirada neste momento" porque as autoridades russas ainda não fizeram as reformas necessárias na modalidade para evitar novos casos de doping no futuro. Ele ainda espera que a força-tarefa formada para investigar o atletismo russo entreviste todos os atletas e dirigentes suspeitos. Apesar disso, dirigentes da IAAF admitem que eles já fizeram "significativo avanço" nas reformas.

O presidente da entidade informou que outra reunião do conselho será realizada em maio para tomar uma decisão final sobre o caso da Rússia. Se a suspensão não for levantada neste encontro, os esportistas russos do atletismo, como a famosa saltadora Yelena Isinbayeva, ficarão de fora da Olimpíada do Rio.

O atletismo da Rússia foi suspenso em novembro devido aos resultados de um relatório independente que apontou doping sistemático na modalidade e atuação de autoridades para encobrir os casos. A IAAF suspendeu automaticamente todos os atletas russos da modalidade e impôs uma série de mudanças na conduta dos dirigentes e no programa antidoping do país para permitir novamente a participação dos esportistas nas competições internacionais.