Tamanho do texto

Aleksandr Zhukov, presidente do Comitê Olímpico do país, acredita que não se deve misturar política e esporte nos Jogos

Savinova e Poistogova foram ao pódio em Londres e são suspeitas de doping
Cameron Spencer/Getty Images
Savinova e Poistogova foram ao pódio em Londres e são suspeitas de doping

O presidente do Comitê Olímpico da Rússia (COR), Aleksandr Zhukov, afirmou nesta segunda-feira que a Rússia não vai boicotar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, apesar da suspensão de seus atletas por doping.

A Rússia argumenta que não se deve misturar política e esporte, e defende que não se deve repetir o erro que levou ao boicote aos Jogos de Moscou, em 1980, devido à invasão do Afeganistão pela União Soviética.

Leia: Isinbayeva se diz injustiçada e ameaça processar quem vinculá-la a doping

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, advertiu que se os atletas russos "não puderem participar de nenhuma competição classificatória (para os Jogos), então a situação é clara". "Se não se classifica, não pode participar dos Jogos", frisou o dirigente.

Para evitar que a suspensão temporária dos atletas russos seja definitiva, Zhukov disse que a Rússia tomará "várias medidas urgentes", como a renovação da Federação Russa de Atletismo (FRA) e dos serviços antidoping.

De acordo com ele, na quarta-feira será criado um comitê interino responsável por administrar a FRA até a realização de eleições em janeiro para escolher um novo presidente para a entidade.

Leia: Empresa projeta Brasil no top 10 do quadro de medalhas das Olimpíadas

Além disso, Zhukov advertiu que "todo aquele que estiver envolvido com doping, seja atleta ou treinador, será desqualificado".

"Devemos fazê-lo não só porque é uma exigência da Agência Mundial Antidoping (AMA) ou do Comitê Olímpico Internacional ou da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), mas, sobretudo, pelo interesse de nossos atletas e sua saúde", ressaltou.

Zhukov destacou que o Conselho da IAAF tomará uma decisão definitiva sobre a Rússia no final de novembro, quando será conhecido o período de suspensão da FRA.

"Gostaríamos que nossos atletas participassem o mais rápido possível nas competições internacionais. Mais ainda quando a grande maioria deles está limpa e nunca consumiu substâncias proibidas", defendeu.

O ministro de Esportes, Vitaly Mutko, comparecerá na quarta-feira à Duma (Câmara dos Deputados russa)para informar sobre o escândalo de doping.

"Todas as pessoas que tenham uma reputação duvidosa serão expulsas do sistema de gestão do atletismo. Os que se dedicarem ao doping devem entender que nossa paciência tem um limite. Se não o entenderem, introduziremos a responsabilidade penal e os colocaremos na prisão", disse Mutko.

A comissão independente da AMA acusa a Rússia de encobrir exames positivos de doping, da extorsão de atletas, do pagamento de propinas e da destruição de provas sobre o consumo de substâncias proibidas com a conivência do Estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.