Tamanho do texto

Bach acredita que o atletismo russo não fique fora dos Jogos Olímpicos do Rio, pois acredita que a federação local irá "evoluir"

Thomas Bach, presidente do COI
Jean-Christophe Bott/Keystone via AP
Thomas Bach, presidente do COI

O alemão Thomas Bach, presidente do COI, garantiu nesta quarta-feira que tem confiança no trabalho do novo mandatário da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), o britânico Sebastian Coe, para superar a crise aberta com as denúncias de doping sistemático na Rússia.

"Estamos, obviamente, perante um mal funcionamento no país e, talvez, em uma federação internacional, mas não podemos esquecer que a WADA (Agência Mundial Antidoping), o COI e muitas federações estabeleceram rede espessa de medidas contra o doping", afirmou o dirigente, em entrevista à emissora neozelandesa "TV3".

Bach adiantou que não espera que o atletismo da Rússia seja desfalque nos Jogos Olímpicos do Rio, no ano que vem, pois acredita que a federação local irá "evoluir" e garantir a presença dos atletas.

O presidente do COI, no entanto, fez um pedido, para que não se lancem suspeitas a atletas que não tiveram casos de doping confirmados, para evitar especulações, mas garantiu que medalhas conquistadas por atletas que o fizeram de maneira irregular, serão redistribuídas.

Na segunda-feira, uma comissão independente da WADA tornou público relatório em que denunciou práticas de doping sistemático na Rússia, com a participação dos serviços secretos e governo do país, recomendando a suspensão da federação nacional de atletismo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas