Tamanho do texto

Entidade aceita proposta de pagamento de dívida encaminhada pela CBB. Nike e Bradesco, patrocinadores da entidade, se comprometem a ajudar a saldar o débito


Huertas e Alex celebram classificação no Pré-Olímpico de Mar del Plata, em 2011
AFP
Huertas e Alex celebram classificação no Pré-Olímpico de Mar del Plata, em 2011

A Federação Internacional de Basquete (Fiba) deu fim à longa agonia do basquete brasileiro, que corria o risco de não ter vaga garantida na Olimpíada de 2016, mesmo com o Brasil pagando a conta de toda a organização da competição. A decisão foi tomada pelo Conselho Central da entidade em reunião em Tóquio, nesta madrugada.
O Brasil tem agora representantes em todas as modalidades nos Jogos, menos no hóquei feminino, que não conseguiu ranking suficiente.

A Fiba aceitou proposta de pagamento de uma dívida de US$ 800 mil (R$ 2,8 milhões)encaminhada pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB). A proposta foi colocada na mesa em renunão realizada no último dia 18, em Toronto, no Canadá, com a presença de Carlos Arthur Nuzman (presidente do Comitê Olímpico Brasileiro), Horacio Muratore (presidente da Fiba), Patrick Baumann (secretário-geral da Fiba) e Carlos Nunes (presidente da CBB).

Leia também: Brasil fecha primeiro dia do Parapan como líder no quadro de medalhas

Patrocinadores da CBB, Nike e Bradesco se comprometeram a ajudar a entidade a paga a dívida, originada por um convite para a disputa da Copa do Mundo da Espanha de 2014 - a seleção havia fracassado na tentativa de classificação na quadra, na Copa América de Las Vegas. Mal convocada pelo técnico Rubén Magnano e com poucos treinos, a equipe conseguiu perder para Jamaica e Uruguai, entre outros.

A Copa América masculina e a feminina, dessa forma, que funcionam como Pré-Olímpicos, terão a função apenas de manter as equipes em atividade e dar cancha a jogadores. O torneio feminino começa neste domingo, em Edmonton, no Canadá. O masculino se inicia no dia 31 deste mês, na Cidade do México.

Leia o comunicado da Fiba: As seleções nacionais masculina e feminina do Brasil vão competir nos torneios olímpicos de basquete dos Jogos do Rio-2016 depois de o Conselho Central da Fiba decidir garantir-lhes vagas automáticas em reunião realizada em Tóquio, no domingo.

A decisão foi tomada baseada em proposta da Confederação Brasileira de Basquete que confirma que eles atendem a várias demandas esportivas, incluindo uma rica história no basquete e estar apta a apresentar seus melhores times competindo no Rio.
CBB, apoiada por seus parceiros e pelo Comitê Olímpico Brasileiro, apresentou um firme compromisso de pagar a dívida remanescente.
De acordo com os estatudos da Fiba, o Conselho Central tem o direito de garantir qualificação automática ao país organizador dos Jogos Olímpicos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.