Tamanho do texto

Djokovic enfrentará Gasquet, décimo colocado no ranking da ATP, já Teliana Pereira encara apenas a 110º do mundo

Estadão Conteúdo

Bellucci não terá vida fácil nas quadras de Paris
Arquivo iG
Bellucci não terá vida fácil nas quadras de Paris

Os tenistas brasileiros não tiveram sorte na definição da tabela do torneio masculino de Roland Garros e vão estrear contra tenistas da casa e que são cabeças de chave. O sorteio realizado nesta sexta-feira em Paris determinou que Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva abrirão a participação no segundo Grand Slam da temporada diante de Richard Gasquet e Gilles Simon, respectivamente.

O Brasil teve quatro representantes no qualifying no saibro parisiense, mas todos eles foram eliminados de forma precoce, deixando apenas Bellucci e Dutra Silva como representantes do País na competição, pois eles se garantram direto na chave, através do ranking da ATP.

Número 39 do mundo, Bellucci vai ter a estreia mais complicada, pois vai encarar Gasquet, o décimo colocado no ranking. Eles já se enfrentaram três vezes, sempre com vitória de Gasquet, incluindo um duelo em Roland Garros, na edição de 2011, na terceira rodada, definido em quatro sets.

Caso o brasileiro consiga superar o francês pela primeira vez na sua carreira, ele vai medir forças na segunda rodada um tenista dos Estados Unidos: Sam Querrey ou Bjorn Fratangelo.

Já Dutra Silva, o número 85 do mundo, abrirá a sua participação em Roland Garros diante de Simon, o 18º colocado no ranking, em duelo inédito. Em uma eventual segunda rodada, o oponente do brasileiro vai ser quem triunfar no duelo argentino entre Diego Schwartzman e Guido Pella.

Na tentativa de alcançar o Grand Slam de carreira, Novak Djokovic poderá ter que superar Rafael Nadal, dono de nove de títulos de Roland Garros, nas semifinais. Afinal, o sorteio colocou o líder do ranking da ATP no mesmo lado da chave do número 5 do mundo.

No ano passado, Djokovic venceu Nadal, naquela que foi apenas a segunda derrota do espanhol em Roland Garros, nas quartas de final, mas acabou perdendo na decisão - ele foi batido em três das últimas quatro finais em Paris. Agora o sérvio retorna ao torneio parisiense para tentar vencer o quarto Grand Slam consecutivo, algo alcançado pela última vez por Rod Laver em 1969.

Dominante no tênis mundial, Djokovic chega a Roland Garros com um retrospecto de 37 vitórias e três derrotas nesta temporada, mas tendo caído para o britânico Andy Murray na decisão do Masters 1000 de Roma, último grande torneio antes de Roland Garros.

Líder do ranking, Djokovic poderá ter que enfrentar Nadal, que já venceu Roland Garros em nove oportunidades
Arquivo iG
Líder do ranking, Djokovic poderá ter que enfrentar Nadal, que já venceu Roland Garros em nove oportunidades

A estreia de Djokovic em Roland Garros vai ser diante do taiwanês Yen-Hsun Lu, número 100 do mundo, a quem ele superou no único confronto entre eles, na edição de 2010 de Wimbledon. Depois, ele terá pela frente um tenista vindo do qualifying.

O argentino Federico Delbonis pode ser o rival de Djokovic na terceira rodada. Já nas oitavas de final, o croata Borna Coric e o espanhol Roberto Bautista Agut são potenciais adversários. Depois, nas quartas de final, o oponente do sérvio poderá ser Tomas Berdych ou David Ferrer.

Com a desistência do suíço Roger Federer, Nadal se tornou o cabeça de chave número 4 de Roland Garros. E em busca do seu primeiro título de Grand Slam desde que foi campeão em Paris em 2014, o espanhol vai estrear diante do australiano Sam Groth, 95º colocado no ranking, fazendo um duelo inédito.

Na sequência, seus potenciais adversários são o argentino Facundo Bagnis, o italiano Fabio Fognini e o austríaco Dominic Thiem, número 15 do mundo e que vem em ascensão no circuito mundial, com vitórias sobre Nadal em Buenos Aires e Federer em Roma. Já o francês Jo-Wilfried Tsonga é um potencial adversário nas quartas de final.

A outra semifinal em Roland Garros poderá ser entre o suíço Stan Wawrinka, atual campeão de Roland Garros, e Andy Murray, pela primeira vez o segundo cabeça de chave em Paris.

O britânico vai estrear em Roland Garros contra um tenista vindo do qualifying e tem o japonês Kei Nishikori como possível adversário nas quartas de final. Já Wawrinka vai abrir a defesa do seu título diante do checo Lukas Rosol.

Feminino

A brasileira Teliana Pereira conheceu nesta sexta-feira a sua adversária de estreia em Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, que começará a ser disputado no próximo domingo. E ele será a checa Krystina Pliskova, apenas a 110ª colocada no ranking da WTA, de acordo com o que determinou o sorteio realizado em Paris.

Teliana Pereira terá vida mais fácil do que os compatriotas
Cristiano Andujar/Divulgação
Teliana Pereira terá vida mais fácil do que os compatriotas

Teliana está melhor ranqueada do que a sua adversária - é a numera 81 do mundo -, mas perdeu os dois duelos que fez com a checa, ambos em 2013. Assim, terá que superar esse retrospecto negativo para igualar as campanhas que fez nas edições de 2014 e 2015, quando avançou à segunda rodada em Paris.

Caso tenha êxito novamente no seu jogo de estreia em Roland Garros, Teliana deverá encarar na sequência a norte-americana Serena Williams, a número 1 do mundo e que vai abrir a sua participação em Paris diante da eslovaca Magdalena Rybarikova, 76ª colocada no ranking, a quem superou uma vez.

Dona de 21 títulos dos torneios do Grand Slam, Serena chega para a disputa de Roland Garros tentando igualar a marca de 22 conquistas de Steffi Graf, mas terá que superar possíveis emboscadas. Uma delas deverá ser um confronto com a bielo-russa Victoria Azarenka, a número 5 do mundo, nas quartas de final.

Serena Williams acumula 21 títulos de Grand Slam na carreira
DPPI/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Serena Williams acumula 21 títulos de Grand Slam na carreira

Atual campeã em Roland Garros, Serena poderá duelar com a francesa Kristina Mladenovic na terceira rodada e com a sérvia Ana Ivanovic, que venceu o torneio parisiense em 2008, nas oitavas de final.

Nas semifinais, Serena poderá reeditar a decisão da última edição do Aberto da Austrália com a alemã Angelique Kerber, número 3 do mundo e que conquistou em Melbourne o primeiro título de Grand Slam da sua carreira.

Além dessas oponentes, Serena também precisará superar certa irregularidade e inatividade, pois o título do Torneio de Roma, assegurado no último fim de semana, foi o primeiro em nove meses da número 1 do mundo, que só disputou quatro competições em 2016 com três finais disputadas. A norte-americana, que já foi campeã três vezes em Paris, nunca venceu edições consecutivas de Roland Garros.

Do outro lado da chave, a polonesa Agnieszka Radwanska, a número 2 do mundo, ainda busca o primeiro título da sua carreira e vai estrear diante da sérvia Bojana Jovanovski, apenas a 122ª colocada no ranking da WTA.