Tamanho do texto

O surfista norte-americano perdeu o passaporte e não conseguiu desembarcar, ficando dois dias detido no Aeroporto de Lisboa, em Portugal

Em 2010, Dane Reynolds ficou em 4ª lugar no Mundial de surfe
WSL/ Kelly Cestari
Em 2010, Dane Reynolds ficou em 4ª lugar no Mundial de surfe

Nesta quarta-feira (22), o surfista Dane Reynolds foi liberado do aeroporto de Lisboa depois de passar dois dias detido. O motivo? Falta de passaporte. O norte-americano, que chegou a ser o quarto colocado no Mundial de surfe em 2010, alegou ter perdido o documento durante o voo e ficou impossibilitado de transitar, muito menos entrar em Portugal.

LEIA MAIS: saiba tudo sobre o surfe e estilo de vida

O primeiro alerta da detenção de Reynolds veio de seu amigo e filmaker, Jason Blanchard. No instagram, publicou uma imagem do surfista, minutos antes de ser preso no Aeroporto Humberto Delgado. O caso comoveu as mídias e outros atletas, tomando proporção internacional no mundo do surfe . As postagens utilizavam a hashtag #FreeDane, "Dane livre", em português.

Leia na íntegra:

"Dane Reynolds está atualmente sendo mantido em cativeiro e tratado como um criminoso na prisão no Aeroporto Internacional de Lisboa, em Portugal. Sim, prisão! Tudo porque ele perdeu o passaporte! Ele está lá há dois dias. Pegaram seu telefone, sua mochila e até os seus cadarços! Para completar, a Embaixada dos Estados Unidos está fazendo muito pouco para ajudá-lo", escreveu Blanchard.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras do país afirmou que "no dia 20 fevereiro, às 20h, chegou ao Aeroporto de Lisboa, provindo da Inglaterra, um cidadão estrangeiro sem passaporte, que se apresentou como o surfista Dane Reynolds. Disse ter perdido o passaporte no avião, mas não foi encontrado".

LEIA MAIS: Três jovens promessas do surfe brasileiro para ficar de olho em 2017

"Dane livre"

No início da tarde de quarta-feira, o surfista foi liberado. A Embaixada dos Estados Unidos em Portugal emitiu um passaporte temporário para Dane seguir viagem e poder aproveitar as ondas do país.

De acordo com a revista "Surfer", a primeira coisa que Reynolds disse ao deixar o local, não foi sobre a sua situação. "Eu me sinto muito pior pelas outras pessoas que estavam lá, apenas tentando sair da péssima situação de seus países", disse ele, se referindo aos imigrantes que tentam buscar melhores condições de vida.

LEIA MAIS: Aos 45 anos, Kelly Slater nega se aposentar tão cedo

Aos 31 anos, Reynolds ficou em 37º no ranking do Mundial de surfe em 2015, mas em 2010 chegou a ascender ao quarto lugar. Atualmente não se dedica mais às competições e pratica o esporte por prazer.

    Leia tudo sobre: surfe

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.